Nova Perspectiva

1 de junho de 2018

Eu tentei te esquecer do jeito errado

Demorou, mas eu finalmente entendi que do jeito que eu estava fazendo você nunca iria sair de mim. Sabe quando você está andando em círculos e não consegue se dar conta de que desse jeito nunca vai sair do mesmo lugar? Foi exatamente assim que eu fiquei nos últimos meses, por isso as coisas continuaram do mesmo jeito que você deixou quando decidiu ir embora. Só que eu estava tão desesperada pra te esquecer, pra te superar, pra seguir em frente, que não eu conseguia ver que isso era tudo o que eu não estava fazendo.

Eu fingi que tinha desapegado, mas até ontem guardava o seu cheiro em um moletom que ficou no armário. Até ontem eu revirava seu facebook atrás de alguma coisa que pudesse me fazer ter esperanças de que nós ainda seríamos nós. Até ontem eu investigava a sua vida, tentava descobrir onde é que você estava, com quem você estava, como se isso fosse mudar alguma coisa. Até ontem eu ainda postava coisas pra tentar te atingir, soltava indiretas, fazia de tudo pra ver se você sentia a minha falta do jeito que eu sentia a sua. Mas nada adiantava. Pras minhas amigas, eu dizia que estava tudo bem, que você era passado, mas aqui dentro eu continuava esperando o dia em que você apareceria arrependido me pedindo de volta.

Eu passei a sair como se isso fosse a minha salvação, comecei a colar em todas as festas que me chamavam, a bater ponto em baladas. Comecei a encher a cara mesmo não gostando muito de bebida, e às vezes, no meio do porre, eu te ligava sem falar nada só pra ouvir sua voz, mandava mensagens, me humilhava. Outras vezes, beijava alguns caras tentando encontrar neles o seu beijo, o seu gosto. Terminava em casa, sofrendo, chorando, sozinha, querendo você ali. A verdade é que eu só queria te vomitar, te expulsar de dentro de mim, e achava que em cada porre, em cada noite agarrada na privada, você estaria mais longe. Mas eu me enganei, porque tudo aquilo ainda era sobre você.

Eu ia pra festas tentando te esquecer. Eu postava fotos pra você ver como eu estava bem. Eu confirmava eventos que eu nem queria ir só pra você saber que eu também estava me divertindo. Eu beijava caras que de algum jeito você descobriria. Fazia coisas que eu sabia que você ia acabar sabendo. Tudo pra, de alguma maneira, conseguir te provocar. E sabe o que mais me irritava? Não importava nada do que eu fizesse, você não ligava, porque você já tinha me esquecido. Via as pessoas me olhando com pena, vendo as ceninhas que eu fazia, assistindo ao meu choro, limpando a minha maquiagem borrada. Eu via todo mundo tentando entender o que é que eu estava fazendo comigo, mas nem eu entendia.

Queria que você sofresse como eu sofri, que sentisse a minha falta, que tivesse ciúmes, que se arrependesse. Então, depois do fim, em vez de encarar o luto e seguir em frente, eu resolvi fazer de tudo pra continuar acreditando na gente. Eu tentei chamar a sua atenção do pior jeito, eu me preocupei em te atingir, e não pensei em mim, não pensei em cuidar do meu coração, em tratar das minhas feridas. Eu tentei te esquecer do jeito errado, mas agora eu entendi, você não vai voltar, e lutando contra isso eu vou estar lutando contra mim. Agora vou fazer o contrário. Não quero mais te esquecer, eu quero me lembrar, e me lembrando eu vou ocupando o espaço que tem você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.