Nova Perspectiva

29 de maio de 2018

Nos perdemos por orgulho

Hoje, depois de tanto tempo longe de você, eu consigo entender o nosso final, mas isso não faz com que ele doa menos. Pelo contrário! Saber que só não demos certo por nossa culpa torna tudo pior. Você ainda se lembra de quantas vezes prometemos que não deixaríamos ninguém estragar o que a gente tinha? E de quantas conversas tivemos sobre o nosso amor ser mais forte que tudo? Você se lembra de todas as coisas que vencemos? De tudo que enfrentamos juntos? Você se lembra que nos dias difíceis um estava pelo outro? E que quando os nossos dedos se entrelaçavam todo caos virava paz? Você se lembra dos nossos planos? Do futuro que queríamos escrever ao lado do outro? Porque eu me lembro, mas por algum motivo, lá atrás, nós nos esquecemos de tudo isso.

Eu podia dizer que foram só as brigas que destruíram nós dois, eu podia culpar o cansaço, a rotina, os dias difíceis que tivemos. Eu podia fingir que acredito que tinha de ser assim, que o final era mesmo inevitável e não adiantava fazermos nada para tentar impedi-lo. Eu podia falar que não fomos feitos pra ficar juntos, que nossa história era passageira, necessária, só que não não eterna. Mas tudo isso seria mentira! E seria mentira porque mesmo depois de todos esses meses meu coração continua batendo mais rápido quando escuta seu nome. Seria mentira porque involuntariamente eu ainda te procuro nos lugares em que vou, ainda espero te encontrar por acaso no ponto de ônibus, ainda fuço suas redes sociais e choro olhando as nossas fotos e declarações de amor. Eu ainda penso em te mandar um áudio cada vez que escuto a nossa música tocar. Mas não mando. E é exatamente por não termos feito nada para impedir, que cada um seguiu o seu caminho.

Você podia ter me ligado. E eu podia ter te ligado também. Nós dois podíamos dizer que estávamos com saudade um do outro, porque eu sei que a falta que eu sentia da gente, era a mesma que você sentia de nós. Teus amigos me contaram que você também chorou, que você também perguntou por mim, que também foi aos lugares em que eu ia torcendo para me encontrar, que também olhava as minhas redes sociais atrás de alguma indireta pra você, que beijava outras garotas tentando encontrar o meu gosto na boca delas, que me buscava em outros corpos, e que sofria por não me encontrar. Eu também sofri daqui. Não é ridículo pensarmos que os dois sofreram pelo mesmo motivo, mas que ninguém fez nada para mudar isso? Não é patético olhar pra trás e saber que um queria o outro, mas nenhum dos dois teve coragem de dizer isso? Um telefonema teria mudado tudo. Uma mensagem de texto, uma carta, qualquer coisa teria feito a diferença, mas nós escolhemos ficar em silêncio por puro ego.

Quando me perguntavam o porquê de termos acabado, eu não sabia explicar o motivo, eu não conseguia pensar em uma explicação razoável, porque não tinha uma. Nada fazia sentido quando eu tentava falar! Então eles diziam “mas vocês se amavam tanto” e eu sentia vontade de chorar porque sim, a gente se amava tanto! E mesmo longe o amor nunca acabou. Então por quê? Por que nós dois acabamos? Por que colocamos um ponto final se nenhum seguiu em frente? Se não deixamos de pensar um no outro? De um buscar um pelo outro? Você já descobriu? Eu demorei, mas agora já sei o porquê. Acabamos porque não fomos maiores que o nosso orgulho. Acabamos porque não colocamos o que a gente sentia em primeiro lugar, porque não falamos nada para o outro, simplesmente deixamos ele ir, nós não lutamos, não tentamos. Acabamos porque cada um de nós virou as costas para um lado e foi embora sem pensar em pedir para o outro ficar.

Escolhemos chorar cada um em um canto pelo mesmo motivo, em vez de engolir o orgulho, a vaidade, o ego, e sermos sinceros sobre o que estávamos sentindo. Eu perdi a conta de quantas vezes pensei em te procurar, mas eu não procurei, perdi a conta de quantas vezes eu assumi pra mim mesma que você era o meu amor e que te queria de volta, mas não assumi pra você. Acho que você também perdeu a conta de quantas mensagens quis me mandar, mas não mandou, de quantas fotos minhas quis comentar, mas não comentou, de quantas indiretas escreveu e apagou, só pra não dar o braço a torcer e admitir que queria voltar atrás. Um erro, dos dois, porque eu também queria. E quero. Talvez por isso esteja escrevendo esta carta. Foi o jeito que eu arrumei pra assumir que ainda estou te esperando. Se você também tiver, me responde, eu só to te esperando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.