Nova Perspectiva

22 de fevereiro de 2018

O futuro chegou e cadê nós dois?

Prometemos nos encontrar mais maduros no futuro. Prometemos até nos esbarrar numa esquina de propósito. Ou até numa cafeteria, como naqueles filmes que assistíamos às sextas-feiras a noite.

Prometemos que no futuro, íamos colocar em prática tudo aquilo que planejamos. Casa com jardim e varanda, dois cachorros, um gato e um casal de filhos — uma bela bagunça regada a briga no jardim e mangueira molhando todos. Também prometemos que iríamos ser nós dois. Finalmente. Tanta coisa dita no último adeus. Palavras, promessas, juramentos e declarações. E até um beijo roubado.

O tempo passou, e claramente, esse futuro chegou. Já se passou muito tempo e não esbarrei em você em esquina alguma, nem em cafeteria e muito menos, na vida. Confesso que esperei o nosso futuro finalmente chegar. Cheio de vitalidade, cumprimento de promessas e amor, muito amor. Mas o futuro chegou e cadê nós dois? Construímos futuros diferentes, sem baseá-los em promessas. Fomos vivendo, criando nossas vidas, edificando nossos passos em bases sólidas. No passado, planejamos tudo usando uma base areada.

Hoje enxergo que sabíamos e sabemos que tudo que foi dito, foi apenas um adeus adiado. Seja para diminuir a dor de nos separarmos ou a vã esperança que estávamos com a pessoa certa na hora errada. Sempre soubemos que não fomos feitos para durar — confesse. Agora, é finalmente um adeus. E que sejamos fortes o suficiente para entender que não se planeja um futuro onde o amor não se solidifica no presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.