Nova Perspectiva

17 de janeiro de 2018

Você não pode bagunçar a minha vida desse jeito

Eu sabia que cedo ou tarde você ia voltar, porque não importa o tempo que passe, você sempre volta, principalmente quando sente que está me perdendo. Eu sabia que em uma dessas noites você ia tocar a campainha da minha casa com a maior cara de pau dizendo que tem pensado muito em mim, que tem sentido a nossa falta, eu só não sei se esses pensamentos acontecem enquanto você enche a cara nas festas com os seus amigos ou se é enquanto dorme com alguma mulher que cê nem sabe o nome. Eu sabia que você ia cansar da farra e das noitadas justamente quando eu tivesse me cansando de te esperar. Eu sabia, porque depois de todo esse tempo você ficou previsível demais pra mim.

Não precisa falar nada não, pode se poupar de gastar saliva, eu já sei muito bem o que você está fazendo aqui. Eu sei o que você quer, eu sei o que vai fazer pra me convencer a te aceitar de volta, eu sei as suas intenções e o seu discurso barato e falso pra entrar mais uma vez na minha vida. Eu sei que você vai olhar no fundo dos meus olhos e jurar que foi a última vez que foi embora. Sei que vai me pedir perdão por ter destruído tudo de novo, vai falar que estava confuso, que agiu de cabeça quente, mas que lá fora não tem ninguém que te veste melhor que eu. Eu sei que você vai me abraçar e eu vou sentir o meu corpo todo arrepiar, porque de uma forma doentia você ainda mexe comigo. Eu sei que vou te pedir pra ir embora, mas você vai insistir, vai ajoelhar, vai chorar, e eu tentar me convencer de que você está falando a verdade, mesmo sabendo que não.

Eu sei que quando você começar a falar eu vou fingir que acredito em você, que vou querer acreditar em você e nas suas promessas e nas suas desculpas. Eu vou querer acreditar que ainda dá pra gente realizar todos os nossos sonhos, os nossos planos, que ainda vamos casar, ter dois filhos, um cachorro e um gato, e que seremos felizes para sempre desse jeito. Mas eu também sei que todas as suas voltas custam caro pro meu coração. Você vem com prazo de validade, sabe? E mesmo que eu queira muito não enxergar a verdade, eu sei que se eu te perdoar de novo você vai sair assim que enjoar de brincar de casinha. Por isso não começa com essa história de que eu sou a mulher da sua vida e sem mim nada mais tem graça, não me faz acreditar em um amor que é da boca pra fora, que não existe, e que machuca.

Você não tem o direito de bagunçar a minha vida quando bem entende, não tem o direito de entrar e sair sempre que te dá vontade sem se importar em como é que eu fico com isso. Cada vez que você vai, um pedaço meu morre! E nessas suas idas e vindas cê já matou um montão de partezinhas minhas. Jura que cê não percebe o quão egoísta isso é? Jura que você acha que pode fazer isso? Que pode brincar comigo? E que eu vou estar sempre de braços abertos pra te perdoar? Porque eu não sei qual é o seu problema, mas to cansada de tentar entender o que passa na sua cabeça. To cansada de abrir a porta pra você ficar uns dias e depois desaparecer sem me dar nenhuma explicação, como se eu não fosse nada, como se eu não importasse. Como se isso não tirasse tudo do lugar e eu tivesse que arrumar sozinha. To cansada de te ver voltar sempre que está ficando tudo bem, sempre que eu to me livrando de você.

Dessa vez eu não vou deixar você estragar tudo, não vou te deixar me enganar de novo, nem me iludir com o seu papinho mole. Dessa vez eu não quero te escutar! Não quero saber se está com saudades, se tem pensado na gente, se viu uma foto nossa e chorou. Não to afim de cair nas suas desculpas, de ouvir as suas promessas e menos ainda de te ver me fazer de trouxa. Dessa vez eu não vou cair não seu joguinho, não vou servir de brinquedo pra você se divertir. Tá doendo? Tá sangrando? Cê não consegue parar de pensar em nós dois? Jura? Que pena! Mas fica tranquilo, vai pra casa, toma um banho, descansar e se mesmo assim não passar, paciência, eu não tenho mais nada a ver com isso. E nem quero ter. Fechei a porta da minha vida e te deixei pra fora de mim

Um comentário:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.