Nova Perspectiva

4 de outubro de 2017

Eu achei que você fosse diferente

O que mais doeu em mim não foi o nosso fim. Não foi ter que me acostumar com a casa vazia, com a falta do seu perfume grudando na minha roupa ou com o espaço que ficou ao meu lado na cama. O que mais doeu em mim não foi te ver pegar as suas coisas e ir embora sem nem me dar um aviso prévio, mas perceber que eu tava errada quando batia o pé e insistia pra todo mundo que você não era igual aos outros. A verdade é que você foi muito pior que eles moreno.

Muita gente tentou me avisar, minhas amigas fizeram de tudo pra abrir os meus olhos antes que fosse tarde demais, mas eu não queria ver. Eu não queria enxergar que o meu príncipe encantado não servia nem pra sapo, que o amor da minha vida era uma invenção da minha cabeça, que ele não existia, não era real. Elas não podiam ter razão, não podiam estar certas, porque se elas estivessem significava que todo o resto era uma ilusão. As nossas promessas, os nossos planos, os dois filhos e a casa na praia. Tudo não passaria de balela, de conversa furada. E essa não era uma opção.
Eu achei de verdade que você fosse diferente. Que finalmente o cara certo tinha aparecido no meu caminho, que agora eu finalmente seria feliz. Mas eu me enganei. Do mesmo jeito que todos os outros tinham feito você também olhou no fundo dos meus olhos enquanto dizia que me amava, enquanto me garantia que nunca mais iria doer e sangrar aqui dentro. Você também planejou uma vida ao meu lado, também jurou que seria pra sempre, que nada nos separaria. Você também mentiu, também prometeu que não ia me machucar. E me machucou. E foi embora quando cansou de se divertir sem nem me dar chance de entender o que é que estava acontecendo.

Por mais que eu tente, não consigo entender porque é que você fez isso comigo. Logo comigo moreno? Que abri a minha alma pra te receber? Que venci os meus medos pra apostar na gente? Você sabia de todas as vezes em que eu já tinha quebrado a cara, tinha escutado as minhas histórias, conhecia de cor os meus tombos, os meus traumas, e eu não achei que você tivesse coragem de fazer igual eles tinham feito comigo. Eu não achei que um dia você pudesse virar uma nova marca tatuada no meu peito, uma outra cicatriz. Mas você não se importou em acabar sendo só mais uma ferida em mim.

Você não se importou em ser só mais uma decepção na minha coleção. E virou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.