Nova Perspectiva

1 de outubro de 2017

Como superar um coração partido

Eu achei que encontraria nos manuais de autoajuda a solução pra parar de chorar por você, como se existisse uma mágica capaz de curar o fim do nosso amor. Depois que a gente acabou eu andei de banca em banca pela cidade inteira atrás de um milagre que arrancasse aquela dor de dentro mim e tudo o que eu consegui foram dois calos nos pés que me atormentaram por semanas. Li todos os textos que você consegue imaginar sobre desamor, assisti diversos vídeos no youtube que falavam sobre como recomeçar depois do término, tentei sair pra lugares diferentes, ver gente nova, conhecer outras bocas, mas mesmo com tudo isso eu continuava voltando pra casa todos os dias querendo te encontrar.

Demorei pra entender que “os sei lá quantos passos para o desapego” não existem. Não tem uma fórmula pra esquecer alguém, para apagar uma história, para deixar de sofrer. É preciso sentir a dor até que ela vá embora. E foi o que eu fiz. Eu chorava vendo as fotos que você postava sempre em uma festa diferente, chorava ouvindo a nossa música e cantando desafinada enquanto tentava entender o que foi que aconteceu com a gente, chorava vendo as nossas fotos com as declarações que fazíamos um pro outro, chorava me perguntando se um dia eu ia amar de novo. Eu chorava… E chorei por muito tempo até começar a sentir raiva de você.
Passei a falar mal de tudo o que você fazia, criticava as suas atitudes, apontava os seus erros, fazia questão de lembrar de cada falha que você tinha cometido quando estávamos juntos. Eu queria jogar toda culpa em cima de você pra ver se assim fazia um pouco mais de sentido não estarmos mais juntos. Quando a raiva passou, eu comecei a ficar vazia. Aos poucos, fui deixando de entrar nas suas redes sociais, fui parando de fuçar a sua vida, de querer saber com quem você estava saindo, pra onde você estava saindo, se estava melhor do que comigo. Eu fui te esquecendo, te deixando.

Eu parei de querer encontrar uma explicação, uma justificativa, um motivo. A gente não deu certo e tudo bem, paciência, acontece. Foi bom por um tempo né!? Teve amor de verdade na nossa história, mas de repente estar junto ficou ruim e não tinha o que a gente fazer pra mudar isso. Nós tentamos de tudo, mas o amor também acaba. O nosso acabou. E eu precisava entender isso sozinha. Quando o luto passou, eu voltei a sentir vontade de ser feliz, não pra te provocar e você ver como eu tava bem sem você, mas por mim. Voltei a querer curtir com os meus amigos, voltei a querer sair com outros caras, voltei a querer viver minha vida. Voltei a ser eu inteira.

Não existe segredo pra curar um coração partido. Não tem um método, um modelo, um passo a passo. Não dá pra achar que você vai ler meia dúzia de coisa e estar pronto para recomeçar. Não vai. Eu precisei de muitos meses até conseguir sorrir de novo. E é isso, o coração precisa de tempo para se recuperar, precisa de paciência, de calma. Precisa que a gente respeite o seu luto, o seu momento. Depois que você sofre tudo o que precisa sofrer, depois que sente tudo o que tem pra sentir, ele desapega do que não é pra ser e volta a ficar igualzinho era antes. E você pode recomeçar de verdade, que nem eu recomecei.

Um comentário:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.