nome blog

2 de junho de 2017

Se você quisesse ficar, você nunca teria ido

A verdade é que muito tempo se passou e só agora a ficha sobre o que aconteceu, caiu. Sim, só agora. Só agora eu abri os olhos pra vida e lembrei que cê não ia mais voltar. Depois de ter aberto o meu guarda roupa várias vezes e procurado as suas jaquetas que sempre ficavam na segunda gaveta, porque você vivia esquecendo-as na minha casa e eu não devolvia. Depois de ter sentido falta do seu cheiro e não ter sentido mais a essência do seu perfume nem nas suas roupas. Porque elas não estavam mais lá. Depois de ter me perguntado diversas vezes o porque de você ainda não ter me ligado e dado diversas desculpas a mim mesma sobre o que você poderia estar fazendo.
Depois de ter lido mil vezes aquela carta que cê deixou na cozinha de casa dizendo que estava indo embora e justificado que era apenas uma brincadeirinha sua. Depois de ter conversado comigo mesma em frente ao espelho, como uma mãe conversa com o filho quando ele não entende o porque da garotinha do colégio gostar do garoto que não quer ela. No caso, eu sou essa garotinha.



Depois de ter chorado durante uma tarde chuvosa e fria enquanto eu assistia aos filmes que eu já tinha assistido mil vezes com você, pois eram seus preferidos. Depois de eu ter arrumado a mesa pra duas pessoas na hora do jantar, tentando acreditar que daqui a pouco cê ia chegar. Depois de eu quase enlouquecer esperando o tempo passar, achando que o problema era a demora dele, achando que o problema era só esse. Achando que cê queria voltar mas não tinha coragem. Depois de eu ter me enganado, acreditando nas desculpas que eu mesma tinha dado sobre seus atos. Depois de eu ter te ligado no meio da tarde e você ter desligado sem ao menos me escutar e eu justificar que cê tava ocupado e daqui a pouco ia me retornar. Mas não foi assim. Depois de eu ter quase desistido de mim pois não sabia mais o que dizer a mim mesma pra me consolar. Depois de eu quase morrer de insônia de tanto sentir saudades suas. Depois de eu sentir pena de mim. Sentir pena de mim por estar sentindo tanto em tão pouco espaço, pena de mim por estar tão acumulada de vazio, pena de mim por estar rodeada de gente e se sentindo sozinha. Depois de eu sentir pena de mim por estar sem você.

Aí que eu cai na real de que você tinha ido embora de verdade. E não, não era uma brincadeirinha. Você não iria tocar a minha campainha pra me dizer que esqueceu a chave da sua casa no trabalho e precisava dormir na minha, mesmo que eu soubesse que seus pais estavam em casa e era apenas uma desculpa esfarrapada pra você dormir do meu lado. Eu vi que não, você não ia me ligar pedindo perdão pelos seus erros e me dizendo que sente a minha falta. Você não ia me buscar na faculdade quando as minhas aulas acabassem depois das 22h. Você não ia bater na porta aqui de casa com uma caixa do meu chocolate preferido, implorando pra eu te deixar entrar e eu já podia parar de esperar que fosse você quando a campainha tocasse. Não, não é você, não vai ser você.

Você não vai me procurar no meio da madrugada dizendo que sentiu minha falta, porque cê nem lembra mais como era estar do meu lado. E o que ficou em mim, não ficou em você. Você não vai me dizer que nenhuma pessoa me substituiu, porque essa não é a verdade, você seguiu em frente como se não tivesse para onde olhar aqui atrás. Você foi como se não tivesse nenhum motivo pra ficar. Você foi como quem não pretendia mais voltar. E eu só precisava me tocar, de uma vez por todas que você não ia mais voltar. Que eu só estava enganando a mim mesma, tentando dar esperanças para o meu coração que estava tão ferido e cansado; Que eu só estava causando mal a mim mesma tentando lutar pra você ficar. Porque cê não ia ficar. E que caso ficasse, seria por pena, porque se fosse por amor eu nem precisaria te pedir.

0 comente aqui:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.