Nova Perspectiva

7 de junho de 2017

Quando me perguntam sobre você

Eu ainda não sei o quê responder. Apenas esboço um sorriso amarelo e digo que está bem, mas sem ter a absoluta certeza disso. A cada pergunta que me fazem é mais um aperto no meu peito. Eu realmente gostaria saber de você, queria que as pessoas descobrissem a verdade e já não fizessem tantas perguntas sobre nós dois. Afinal, foi você quem pediu um tempo. 
Um tempo. Essa expressão ainda me causa arrepios. Eu me lembro exatamente de você sentado no café perto da minha casa quando me avisou que precisaria viajar para pensar na vida, em você, em nós. Simplesmente, pediu um tempo. Como assim? Eu fiquei sem entender.

Como alguém tem dúvidas do amor que sente pelo outro? Eu sei que o amor pode ter várias explicações complexas e cada pessoa explica de uma forma. Acontece que o amor é mais simples que podemos imaginar. Você sente o amor. Pronto. Às vezes, ele não requer muitas explicações. Enquanto isso, eu respondo que você está bem e volta antes do que eles possam imaginar. Tento esquecer a dor no meu peito e tento acreditar que, de fato, tudo está bem por aí com você.

Por favor, só não demore muito. Eu confesso que nunca gostei muito de reticências. Apareça e me encare, frente a frente, para colocar um ponto final ou continuar com nossa história. Apenas não me deixe com essa interminável dúvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.