Nova Perspectiva

18 de junho de 2017

Namore alguém que


Hoje eu estava brava. E eu sei que isso é um jeito bem estranho de começar um texto de amor. Mandei um áudio pro meu namorado falando uma coisa qualquer e ele notou na hora que eu não tava legal. Mesmo lá, em outro estado, ele sempre percebe os meus estados. Eu nem tento mais esconder. "Eu tô muito brava hoje, amor".  E tudo bem. Ele disse que me amava muito e que tava tudo bem eu ficar brava e estressada às vezes. Ufa. Que alívio amar alguém que já nos ama ao ponto de tolerar nossa humanidade às vezes covarde e errante pra ser forte e sorridente o tempo todo. Namore alguém que saiba que isso não existe.

Às vezes ele fica bravo também. Às vezes a gente se machuca, sem querer. Nem sempre os dias são coloridos pra nós. Nem sempre a gente é "casal de Hollywood". Na verdade, quase nunca. E a graça talvez seja essa exatamente essa. Porque a gente é muito melhor e mais verdadeiro do que isso mesmo em meio aos dias cinzas. Ouvi certa vez que o amor não se trata de estar com a pessoa certa, mas de escolher passar o resto da vida aprendendo a amar a errada. Namore alguém que escolha.


Somos todos errados. Esse fardo de ser certo é uma droga.  E se você conhecer o amor da sua vida em um dia ruim? Em uma fase ruim? Ninguém tá bem o tempo todo. E feliz daqueles que tem alguém que sabe disso do lado. Perfeição não existe e a maioria dos casais que postaram as milhares de fotos que você curtiu hoje, brigam feio e tem seus dias ruins também. Chatice seria se não tivessem. Como é que se aprende amar alguém sem problemas? Me diz, como é que faz? Como é que se aprende a amar numa linha reta sem declives e pedras? 

Em linha reta até o ponto morto anda. Pra amar, tem que mudar de marcha. Tem que vencer as curvas. Tem que cair nuns buracos de vez em quando pra, da próxima vez que passar por aquela rua, saber que tem que andar mais devagar. 

Paixão é que vive de momento bom. Amor é lição que a gente só aprende e bota em prática em prova de fogo. Nasce no exato momento que o mero encanto acaba. É agora! Vai ou raxa? Você descobriu que seu príncipe é curto e grosso quando tá estressado e sua princesa de tpm tá mais pra "bruxa de blair". Você descobriu que a mulher da sua vida não acorda maquiada e com o cabelo da propaganda da L'oréal e que o seu tão esperado cavalheiro nem sempre vai abrir a porta do carro pra você. Mas às vezes vai. E quando for, vai ser incrível. 

Namore alguém que ame seus pontos fortes, mas seja igualmente capaz de decorar as formas de lidar com cada uma das suas fraquezas. 

Namore alguém que seja apaixonado pelo seu sorriso, mas que ame até a sua orelha que é de abano, mesmo rindo. 

Namore alguém que não tente parecer perfeito. Uma hora o disfarce cai, confia em mim. Bonito é quem não se conforma, mas reconhece o quão falho e humano é, e o quanto precisa melhorar.

Namore alguém que não te prenda. Que não te limite. Mas que te desafie à liberdade de ser o melhor que você pode ser, com um apoio e uma mão estendida sempre presente pra te ajudar nisso.

Namore alguém que te instigue a querer mais. Mais da vida. Mais do mundo. Mais de si. Tem muita gente acomodada com pouco, com mesmice, com a rotina ordinária. Incrível é quando a gente encontra alguém que empresta os olhos pra gente enxergar e ampliar a nossa visão. Mudar um pouco a rota. Quebrar e refazer alguns conceitos. Se você não aprendeu ou mudou em nada com a pessoa que está do seu lado, está perdendo a experiência incrível de ser acrescentado por alguém.

Namore alguém que corra na chuva - do céu ou da vida - com você, e não tenha medo de se molhar ou desmanchar o penteado. 

Namore alguém que depois de uma briga, mesmo quando estiver certo, seja capaz de ser quem dá um braço a torcer e junta os dois pra te abraçar. 

Namore alguém que te conheça. Que não se espante com suas manias, com suas manhas, com seu mau humor matinal.

A gente passa muito tempo tentando conquistar o outro com uma imagem politicamente correta e inabalável, pra depois descobrir que, pra alguém nos amar mesmo, precisa conhecer o que não é tão digno de ser exposto assim.  Pra ser amado de verdade, a gente precisa se despir de tudo aquilo que tenta ser, pra ser puramente aquilo que se é, e ver quem tem coragem de encarar. De adotar todos os medos, e dores, e tudo. Namore alguém que tenha. 

O amor não é pra covardes que correm no primeiro confronto.  Amar é um ato de coragem. É aceitar um pacote com coisas que você gosta e odeia, e topar carregar ele pra sempre. Namore alguém que tope.

Escolher passar a vida inteira ao lado de uma pessoa imperfeita e errada, sem hesitar em amá-la por um sequer momento, apesar disso, é aprender um pouco mais sobre como Deus nos ama. É forjar o nosso caráter. É crescer junto com alguém com quem, primeiro, em meio a vendavais, você construiu uma base. 

Amor é a constante que não muda, vindo de quem fica ao seu lado, mesmo quando muda a fase.
Namore alguém que fique.

E então...
Case.

Um comentário:

  1. Amei o texto! Acho que não poderia concordar mais com as suas palavras. E depois de ler todo o texto, acabar com "Namore alguém que fique. E então... Case." foi demais! Não podia ser mais verdade.

    Beijo*

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.