Nova Perspectiva

28 de junho de 2017

Meu passado me fez crescer

Tenho aprendido muito com a vida, com a dor e com o passado. O coração de tanto se doar e me doer, tem me ensinado um bocado de coisa durante toda essa minha vivência.

Ontem, na beira da cama, de papo comigo mesmo, com o meu eu mais íntimo, tive a certeza que as pessoas não somem da nossa vida por acaso. Tudo, querendo ou não, tem um propósito e, na maioria das vezes, nada é do jeito que a gente quer.

Aprendi a não acreditar em tudo. Aprendi a não esperar nada de ninguém. Aprendi a reclamar menos; agradecer mais. O coração, de tão bom que é, me ensinou a não confiar em quaisquer palavras em vão ditas da boca para fora. De um tempo pra cá tenho crescido muito interiormente que não é qualquer coisa que pode me desmoronar por dentro.

Daí você me questiona:
"Mas como é que você sabe que são ditas da boca pra fora, Fernando?"

Não tem segredo. Tá na cara. No olhar. Nos gestos. Nas atitudes do outro. Uma pessoa não vai falar que tá morrendo de saudade e que quer te ver. Ela vai chegar apertando sua campainha sem te avisar só afirmando com os olhos que cansou de esperar. Ela não vai dizer que tá trabalhando muito, que tá estudando demais ou que não tem tempo e dinheiro. Ela vai reservar uma horinha pra te ver, vai dar um pulo, uma cambalhota, um mortal, mas vai estar contigo. Tudo na vida é questão de prioridade. Eu, por exemplo, quando estou afim de alguém, faço de tudo: compro as passagens, faço as malas, arrumo o coração e vou. Não tem desculpa. Não tem migué. Ou é, ou não é. Uma pessoa quando quer, vai e faz. Outra pessoa que não quer, espera, espera e espera, e sempre deixa de fazer e no fim acaba virando saudade, saudade, e só.

O coração me ensinou também que não se pode resolver coisas que é por conta do tempo. Às vezes o tempo apaga; acende, apaga; acende, mas é tudo por conta dele. Não é preciso ter pressa. Nem nos precipitar. Tem coisas que devemos deixar o tempo resolver. Só ele irá dizer se é bom ou ruim para nós.

Ontem à noite, sentado na beira da minha cama e, entrando em contato comigo mesmo, pude ter a certeza que para um relacionamento dar certo, ambos precisam ter uma boa sintonia em coração e em maturidade, porque orgulho e egoísmo não traz ninguém de volta. Só afasta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.