Nova Perspectiva

24 de abril de 2017

Você é o meu presente da vida

Te observo dormindo ao meu lado enquanto o sono não vem. É tarde. Acho que já passou da uma hora da manhã, mas te ver assim, tão quietinho, me faz querer continuar acordada. Tudo parece um sonho, desses tão bonitos que a gente tem medo de despertar e perder pra sempre, então eu continuo aqui, te vendo, te observando, enquanto tento me convencer de que tá tudo bem, e que amanhã vai continuar tudo igual. Você ainda vai estar aqui quando o relógio despertar. Ainda vai ser eu e você. Pra sempre.


Lá fora faz um barulho danado, mas aqui dentro não. Aqui tá quieto, calmo, tranquilo. Já foi o contrário, sabe? Lá já fez muito silêncio enquanto aqui era caos, desordem, bagunça, até que você apareceu e me trouxe paz. Eu não sei o que foi que aconteceu, não sei qual foi o feitiço que você usou pra acalmar tudo tão rápido, não sei como cê conseguiu arrumar aquela zona que tinha aqui dentro de mim, nem entendo como você não saiu correndo quando se deu conta da confusão que eu era. Não sei como você me desarmou desse jeito e me fez esquecer aquele papo de desapego que eu preguei por tantos anos. Não sei como cê curou todas as minhas feridas, como me fez apagar todas as marcas ruins e querer deixar de lado a minha promessa de nunca mais me envolver com alguém. Não sei como eu me envolvi, mas eu gosto de pensar que foi coisa de Deus… Você… Entende? Um presente que a vida tinha guardado pra mim. 

Meus dias andavam meio sem cor, sem graça, e você trouxe uma aquarela inteira pra divertir a minha vida. E me coloriu. Eu já tinha até me tornado meio descrente nesses assuntos do coração, como se mais nada mais pudesse ser bom o bastante pra valer o meu tempo. É que eu tinha desperdiçado muito, sabe? Jogado fora uma porrada de horas com gente que não merecia tudo isso. E eu tava cansada de apostar errado, então guardei minhas cartas e resolvi sair de campo. Pra mim, isso era tudo o que eu podia fazer. Até o dia em que você apareceu. Chegou com esse sorriso solto, essa mania de ver a vida sempre com uma perspectiva diferente, com um olhar mais aberto, mais leve, e me contaminou. Foi numa dessas nossas conversas que não acabam nunca, que eu me dei conta desse sorriso bobo que grudou no meu rosto e compreendi que era você.

Foi num dos nossos beijos, que eu percebi o jeito como meu corpo arrepia todo. Foi em uma tarde qualquer que eu senti meu coração ultrapassando a escala Richter só de você chegar perto e vi nisso algo bom. Foi em um desses dias enquanto a sua mão segurava com força a minha que eu me senti um pouco mais corajosa e deixei todos os meus medos pra trás pra poder seguir em frente com você. Foi em um dos nossos abraços demorados, que eu vi que, ai dentro, eu tava segura, eu tava em casa. Foi num desses momentos como o de agora, em que sem você perceber eu te observo e me sinto completa, feliz, que a ficha caiu e eu entendi que o universo prepara a gente pro melhor. Ele me preparou pra você. Ainda bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.