nome blog

22 de abril de 2017

Eu me apeguei a você

Sempre fiz a linha garota desapegada, sabe? Gostava de brincar que nasci com a alma livre, por isso não tinha aprendido a criar raízes dentro dos outros. Por um tempo até achei que eu não tinha vocação pro amor, cheguei a pensar que eu não tinha vindo ao mundo pra viver uma grande história, um romance desses de fazer os outros chorarem ou sentir o coração acelerar por alguém especial. Eu achava que essa era a razão de ninguém nunca ter parado na minha vida. O amor não era pra mim, simples! Mas eu tava errada. A verdade é que eu só não tava pronta pra ele. Até você chegar.


Eu via aqueles casais apaixonados fazendo milhões de juras e de promessas e me perguntava porque aquilo não acontecia comigo também. Porque não fazia sentido pra mim. Por mais que eu tentasse, não conseguia entender porquê não me envolvia mesmo quando eu tava disposta a me abrir e me entregar, porque ninguém conseguia me fazer sentir vontade de mergulhar sem que eu me preocupasse em não afundar. Cada vez que aparecia uma pessoa diferente, eu prometia que ia me esforçar pra fazer dar certo, que não ia cansar, enjoar, perder a vontade, mas dali algum tempo lá estava eu de novo procurando a melhor desculpa pra cair fora, pra desistir, jogar a toalha, porque eu já não aguentava mais continuar.

Era o papo que não batia, o jeito que me irritava, os sonhos e os planos que não combinavam, a vida que não se encaixava. Era um monte de coisas, um conjunto de razões que surgiam e me faziam desistir de mais uma tentativa. Eu não conseguia me prender. Achei, por muito tempo, que havia alguma coisa de errado comigo. Não era possível dar certo pra todo mundo, menos pra mim! Não era possível todo mundo encontrar alguém especial enquanto eu só esbarrava em cara errado. Ou meu dedo era muito podre ou o destino não ia muito com a minha cara. Algum motivo tinha de ter! E eu fui desistindo de acreditar que eu ia encontrar alguém por quem valesse a pena largar meus medos e querer ficar.

Quando você chegou, eu já não acreditava mais que alguém pudesse ser capaz de derreter meu coração. Eu tava meio conformada que eu nunca ia conseguir sentir minha vida sair do eixo por causa de um sorriso de canto e tudo bem, paciência. E você foi chegando como quem não queria nada, se aproximou, entrou, foi se ajeitando como se a casa fosse sua e eu fui fazendo vista grossa meio sem acreditar que você seria capaz de me mudar. Até tentei te convencer a ir embora, falei que eu não me apaixonava fácil e que essa coisa de amor não combinava muito comigo, mas você nem se importou. Quando eu me dei conta já tinha seu cheiro colado em cada canto do meu corpo.

Cheguei a acreditar que você ia ser só mais um desses caras na minha vida e que logo a graça ia acabar e eu cansaria da gente, porque sempre foi assim. Mas eu não enjoei de você, não fiquei com preguiça da gente, não senti vontade de ir embora. Pelo contrário, cada vez que eu te conhecia um pouco mais, maior era a minha vontade de ficar. Pois é meu bem, logo eu, que não conseguia fazer morada em ninguém, que desistia de toda história que aparecia na minha vida, que não em via falando de futuro, de filhos, que nem acreditava nesse papo de para sempre, acabei me apegando a você e desejando aquele feliz que aparece em toda história de amor.

1 comente aqui:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.