nome blog

8 de março de 2017

Você é aquilo que eu tanto procurei

​Não vou ficar me fazendo de difícil a essa altura do campeonato, nem bancar a tal da garota desapega e indiferente que não se apaixona nunca ou então agir como se tudo estivesse em seu devido lugar, porque, na verdade, a gente sabe muito bem que não tá. Meu mundo virou do avesso desde que você chegou. Eu sai do eixo, perdi o passo, o foco, o centro, o compasso. Nada mais tá igual. E por mais louco que pareça, não to achando isso ruim.


Eu sei que to bem longe de ser uma pessoa fácil de conviver. Sou mandona, birrenta, gosto que tudo seja feito exatamente do meu jeito, mesmo quando eu to errada, e não assumo que de outra maneira podia ter sido bem mais fácil só pra não ter que dar o braço a torcer e admitir que eu não sou a dona da razão. Eu não faço o tipo que aceita estar errada, não aprendi a ceder, a voltar atrás, sou meio turrona, teimosa, cabeça dura e você se diverte com esse meu jeito marrento de menina mimada como se os meus defeitos não fossem nada perto do que cê sente por mim. Eu bato o pé, reclamo de tudo, brigo por qualquer coisa, fecho a cara com toda facilidade do mundo, faço bico por bobeira, e isso sempre foi o suficiente pra afastar todos os caras que passaram pela minha vida, mas você continua, insiste, e sempre consegue me desarmar inteira.

Diferente de todos os outros, você nunca se importou com as minhas manias esquisitas, com o meu jeito confuso de contar e recontar as mesmas histórias, com os meus sonhos completamente fora da realidade, com os meus caprichos, com as minhas maluquices, com as minhas piadas sem nenhuma graça. Nunca ligou se eu não corto o cabelo na lua mingante, se vejo meu horóscopo todos os dias e acredito nessa história de acaso. Por falar nisso, você foi o melhor que o destino podia ter criado, porque depois de tanto tempo tentando me moldar em abraços, em bocas, em pessoas, com você eu pude ser eu, assim, com esse jeitinho meio torto, meio desajeitado, bagunçado. Finalmente, sabe? Eu consegui ser eu mesma sem ficar me preocupando com o que você ia pensar, pude ser eu com todos os meus medos, com as minhas inseguranças, neuras, e pela primeira vez alguém se apaixonou pela minha verdade.

Tá vendo por que foi tão fácil gostar de você? Como é que podia não ser? Cê é tudo aquilo que eu tanto procurei, por isso foi fácil sentir vontade de abrir a minha vida e te convidar pra entrar, foi fácil querer que você ficasse mais e mais e mais, foi fácil saber, desde o começo, que era você, porque cê é como uma daquelas músicas que a gente escuta uma, duas, três, quatro vezes, até virar um vicio e não termos mais vontade de parar de ouvir. Eu te coloquei pra não parar repetir, porque é o nosso sim que eu eu quero ouvir pro resto da vida.

0 comente aqui:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.