Nova Perspectiva

1 de março de 2017

Todo carnaval tem seu fim

As máscaras caíram, a fantasia se perdeu, a banda já retira os instrumentos e só restou a lembrança do teu beijo em minha boca. Toda a alegria foi passageira e os confetes, purpurinas e glitters já deram espaço para a rotina nossa de cada dia. Embora, meu sorriso não será mais o mesmo desde que você surgiu fantasiado em minha frente.


Alguns dizem que o carnaval serve para mostrar quem verdadeiramente somos e deixamos escondidos o resto do ano. E te ver enrolado com um papel de trouxa foi ter a certeza de que amar e ser amado é uma tentativa que todos querem.  Ao som de alguma música antiga cantada na versão atual de algum bloquinho, eu que já estava perdida, me perdi no seu olhar. Um sorriso foi o suficiente para eu te querer durante toda a folia.

Nesses dias de atípicos do ano, eu realmente pulei carnaval como nunca tinha feito antes. Se eu já não gostava de toda espuma jogada em mim e tinta no cabelo, passei a gostar da folia na primeira noite que te encontrei. Nós dois brincamos e embarcamos nas histórias das nossas fantasias. Se um fez papel de trouxa, logo o cupido daria um jeito ou a diabinha podia complicar tudo de uma vez. Ríamos e brincamos todos os dias em uma folia que não parecia acabar tão cedo.

A maioria afirma que amor de carnaval é passageiro, outros tem o resultado nove meses depois e eu só queria estender a sua presença um pouquinho mais na minha vida. Eu sei que nem tudo é só a euforia de carnaval, mesmo assim queria você. A distância de nossas cidades impede qualquer começo ter um elo forte para durar por mais tempo. Vida que segue e a rotina estará de volta logo. Cada um no seu canto e com a doce lembrança de uma história de amor vivida na folia.

Uma pena que a quarta-feira de cinzas leve você embora também. Manteremos contato, eu sei, mas espero que outros capítulos possam ser vividos. Como todo ano, o carnaval tem seu fim. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.