nome blog

28 de fevereiro de 2017

Uma pena cê ter demorado tanto pra sentir a minha falta

Acho que você nem imagina quanto tempo eu fiquei aqui, parada, estática, esperando pra ouvir você dizer que tava arrependido e me queria de volta. Acho que você não sabe quantas noites eu passei em claro sonhando acordada com o dia em que você ia voltar me pedindo perdão por ter sido tão babaca, por ter ido embora mesmo depois deu implorar aos prantos pra você ficar comigo. Acho que cê não faz a menor ideia do tempo que eu perdi tentando entender porque mesmo eu fazendo de tudo, não fui suficiente pra você. Acho que nem passa pela sua cabeça quantos diálogos com você dizendo que me amava eu criei e recriei nesses meses em que cê esteve fora amando outras garotas. Acho que não te contaram o quanto eu sofri, o quanto eu chorei, o quanto eu me desgastei com a nossa história, até conseguir aceitar que o espaço vazio ao meu lado na cama nunca mais ia ser preenchido com seu corpo.

Foi só eu começar a seguir em frente que você voltou. Tocou a minha campainha no meio da tarde e sorriu exatamente com aquele sorriso que me balançava inteira, mas nada em mim estremeceu. Eu quase não acreditei no que eu vi quando abri a porta, cê tava lá, paradinho, concentrado, como se procurasse as palavras certas pra me falar, quando me viu quase deixou o queixo cair de espanto, mas logo endireitou os ombros e se recompôs. Você é aquele tipo de cara que não perde a pose nunca, mas eu sei o que você pensou quando bateu os olhos em mim "ela tá ainda mais linda que antes", não foi? E eu to mesmo! No começo eu achei que ia morrer sem você, mas eu sobrevivi e me reinventei, fiquei melhor que antes... em todos os sentidos. Talvez por isso eu nem tenha ficado admirada quando vi que cê tinha trazido as minhas flores preferidas e uma caixa daquele chocolate que eu amava e raramente encontrava nos mercados perto de casa. Não importava mais. Junto delas cê também trouxe um monte de desculpas e de mentiras ensaiadas e foi logo vomitando tudo em cima de mim pra não esquecer todo aquele discurso que tinha decorado, como se eu fosse uma idiota que cai em qualquer historinha.

Tudo bem, talvez eu tenha mesmo sido idiota algumas vezes, talvez eu tenha te dado mais chances do que cê merecia e perdoado uns erros que nenhuma outra pessoa no mundo teria perdoado, mas a gente aprende com os tombos que leva, sabe? E eu cai demais por sua causa, basta olhar pra mim e ver a quantidade de hematomas que eu carrego na pele, na alma. Quando você terminou de dizer tudo aquilo que eu esperei sair da sua boca por tanto tempo, tudo aquilo que eu sonhei, desejei, fantasiei, eu não sabia se chorava ou se ria. Sim! Se chorava de raiva por você ter sido otário ao ponto de jogar fora o casal que a gente podia ter sido, as coisas que a gente podia ter vivido, o futuro que a gente podia ter escrito. Ou se ria da sua cara de pau, da sua falta de senso de ridículo. Eu queria tanto que aquela declaração tivesse vindo antes, que você tivesse se dado conta de que eu fazia falta enquanto ainda dava tempo deu querer deixar de fazer, mas você perdeu a hora se divertindo lá fora e eu tive que arrumar aqui dentro sozinha, ai não sobrou espaço pra você.

Depois que você confessou que tava arrependido, que não via mais graça nessa farra toda, que precisava do meu perdão e dos meus beijos e até das minhas manias chatas e ficou me olhando como se esperasse por um convite pra entrar, como se no fundo a casa ainda fosse sua, eu quase senti pena de você, quase falei que eu sentia muito por aquela situação patética, quase te abracei e disse que aquilo ia passar, mas na verdade te ver ali fazendo aquelas coisas que eu quis tanto, fez com que eu tivesse certeza de que você nunca me mereceu, porque se tivesse me merecido se teria dito tudo aquilo antes mesmo de ir embora, se tivesse me merecido não ia ter me feito passar por tudo o que eu passei pra depois voltar como se nada tivesse acontecido, se tivesse me merecido não ia ter criado uma cratera no meu peito e achado que dava pra preencher com algumas palavrinhas bonitas. Se tivesse me merecido, não ia ter me deixado perceber que a vida fica bem melhor sem você.

0 comente aqui:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.