nome blog

7 de fevereiro de 2017

Não é vingança, é lei da física

Preciso ser sincera e admitir que não estou surpresa com as suas mensagens e nem com as suas diversas tentativas de se reaproximar de qualquer jeito de mim. Talvez eu até devesse estar pasma com a sua falta de vergonha na cara, mas no fundo eu sempre soube que você ainda ia querer voltar atrás e me ter de volta. Eu tinha certeza que no momento em que a solidão te cercasse e o frio ficasse insuportável, a saudade ia bater com força e você se pegaria pensando em mim, como tá agora, enquanto a nossa música toca e cê lembra de como a gente foi feliz e de como podíamos ter sido muito mais se cê não tivesse pisado em cima de tudo. Mas você pisou e agora a nossa história tá toda amassada.


Eu sabia que uma hora ou outra você iria se perguntar sobre como as coisas andam por aqui e o que eu tenho feito da minha vida e que nesse dia olharia o meu número pensando no que falar caso me ligasse. Eu sabia que você ia tentar resgatar a minha voz na memória e que estremeceria quando fosse invadido pela lembrança deu sussurrando pertinho do seu ouvido o quanto eu te amava. É... amava. E isso tudo era previsível! Eu te falei que cê ia quebrar a cara antes de você ir embora, não falei? Eu te alertei que a farra não ia durar pra sempre, nem a minha paciência pra te perdoar. Te avisei que as noites agitadas nessas festas com um monte de bebida estranha e mulheres que você nem sequer conhece o nome, uma hora iam perder a graça e que cê ia começar a voltar pra casa meio cambaleando de um lado pro outro, bêbado, desesperado pra me encontrar e ia chorar tudo o que eu chorei quando cê disse que o nosso amor não era mais o suficiente pra te fazer feliz. Só que ai eu já ia ter te superado.

Eu sabia que você ia olhar pra trás, pensar nos nossos sonhos, nos planos que dividíamos, nos projetos que montamos, nos filhos que queríamos ter, na casa que a gente ia morar, nas viagens que faríamos e se arrependeria de ter seguido em frente. Eu sabia que, então, depois de todo o tempo afastado aproveitando o que a solteirice tem de melhor, cê tentaria retornar desesperado na esperança deu ainda estar te esperando vir pra me pegar de volta pra você, mas cê voltou tarde demais meu bem. Eu te esperei sim! Passei alguns dias e noites sentada no mesmo ponto em que a gente se despediu me perguntando quanto tempo levaria pra você se dar conta de que tinha largado a mão de quem te seguraria a vida inteira. E demorou demais. Eu cansei de ficar lá, sozinha, vendo a vida passar enquanto os outros passavam com ela e resolvi ir junto. Cansei de chorar e me descabelar e colecionar cicatrizes por causa de alguém que não estava nem ai. Embarquei sem pretensão de volta e deixei pra trás tudo o que havia sobrado de nós dois. Foi questão de alguns meses pra você sentir minha falta.

O irônico é que foi só eu começar a te esquecer, pra você inventar de lembrar da gente. Postei uma foto em uma festa, te esbarrei em outra balada, fiquei sabendo que cê tava perguntando de mim pra alguns amigos. Conforme eu fui me desapegando da gente, você resolveu tentar se apegar de volta. Engraçado como o mundo é, né!? Agora é você quem se rói inteiro de ciúmes me vendo rir pra outras pessoas, é você quem acompanha os meus passos de longe e move céus e terras pra me encontrar por acaso. Agora é você quem me liga com a voz alcoolizada dizendo que não consegue dormir sem meu corpo ao lado do seu e sou eu quem finjo não estar ouvindo e desligo sem me despedir. Boa sorte nessa sua tentativa de me esquecer, que eu sei muito bem que você vai precisar. E não ache que isso é vingança não! Juro que não quero te ver sofrer, mas é que, bem, lembra daquela lei da física que a gente aprendeu na escola? Foram suas próprias ações que atraíram as minhas reações.

1 comente aqui:

  1. Como diz uma amiga minha, "eeeeeeeeeeita giovaaaaaaaana". hahaha.. Nossa cara. O pior é que é assim mesmo. Quando a gente começa a esquecer, parece que o defunto cria vida e lá vem ele atormentar a nossa paz. Peguei esse trechinho do teu texto que resume umas coisinhas aí que andei passando e se eu pudesse, colava na minha testa pra toda vez que eu me olhasse no espelho não esquecesse... "Cansei de chorar e me descabelar e colecionar cicatrizes por causa de alguém que não estava nem ai". Porque olha, eu cansei. Cansei mesmo. Passei anos me importando com cada cara que apareceu na minha vida. Me importando com cada despedida. E me perguntando porque raios que nunca dava certo comigo e pensando que a estragada era eu. Mas na verdade não. Eu não tenho culpa se eu quero transbordar. Se eu nasci pra ser intensa e querer amar sem medida. Não quero mais dar desculpas esfarrapadas pra quem veio e quis ser apenas raso comigo. Então, cansei. Exatamente como essa tua frase aí diz.

    Obrigada pelo texto. Textos assim que eu andava precisando.
    Beijos no core.
    Maya.

    www.mayaquaresma.com.br

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.