Nova Perspectiva

16 de fevereiro de 2017

Lembranças machucam. As boas, não mais

Hoje meu coração pediu por você. Eu não soube de imediato, dormi uns minutos a mais, como das vezes em que minha alma pedia baixinho para que eu continuasse naquele sonho em que você me abraçava apertado e contava suas aventuras do passado. Eu deveria ter desconfiado quando meus olhos se recusaram a abrir e meu consciente bateu o pé e não voltou às claras. Mas a melodia veio e chocou-se com minha sanidade, então me dei conta. A cantora pede para que eu levante e continue tentando, siga em frente.
Não é porque machuca ou queima aqui dentro que vou cair. Eu pude sentir que morria aos pouquinhos, meu coração insultava minha imunidade invejável, mas eu tomei aquela canção como mantra e ficou tudo bem antes mesmo do esperado. Sim, talvez eu tenha aprendido a me defender emocionalmente, e em circunstancia ou outra coloque em pratica o que entendi. A vida ensina, mesmo a pouca vivida.

Entretanto, descobri que acordei com vontade de você, das palavras que me confortaram naqueles anos difíceis, das que moldaram um conto de fadas de ilusão reciproca, dos sorrisos imaginados, do primeiro olhar depois de anos, da convivência imaginada. Eu quis teu sotaque camuflado no meu que adorava imitar o seu tão bem. Eu quis. E senti sua falta hoje. Porém não doeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.