Nova Perspectiva

21 de fevereiro de 2017

Eu tô com uma puta saudade tua

Acordei com uma ligação exatamente no horário que você costumava ligar. É a hora que você tá saindo da faculdade e liga pra eu te fazer companhia, mesmo que do outro lado da linha, porque não gosta de ir sozinha pra casa. Atendi assustado, com o olho meio fechado, na esperança que fosse você, mas era cobrança. Era a saudade cobrando a conta. Eu não tô dando conta nem dos boletos, quem dirá da saudade que aparece e não quer mais ir embora.

Saudade é quando eu te vejo em tudo e não te encontro em nada. É uma coisa doída, e esse acento é opcional. Porque além da dor, tira a pouca sanidade que eu tenho. Faz um mês e eu quase te liguei uma caralhada de vezes. Teu contato ainda está nos favoritos que ficam na tela do lado do meu celular. Eu nunca tive alguém como um contato favorito e tá faltando coragem de te remover de lá. E outra, nem vai adiantar. Eu decorei teu número. A memória é boa, esqueceu?

A minha vontade era falar essas coisas olhando nos teus olhos, mas dificilmente conseguiria sem chorar. Tentei por áudio, mas cancelei mais vezes do que eu tenho de dedos nas mãos, porque a voz começava a embargar. Eu sinto falta até do teu 'oi' quando você está brava, aquele mais seco do que roupa no varal em dia de sol de verão.. mas você preferiu o silêncio e isso está fodendo comigo. Me bate, me xinga, diz que eu sou um inconsequente exagerado, só não fica em silêncio, por favor. O teu silêncio faz um barulhão na minha mente...

Hoje faz 27 dias que você se afastou - e eu não sei nem o motivo - e que os dias 27 perderam completamente a graça e o sentido. Aposto que você lembrou de mim quando viu a data, porque eu também lembrei de você. Eu sei, tá tudo muito foda. Aqui também, mas a Malu tava certa quando ela cantou que 'se a gente vai juntinho, vai bem'... Sinceramente, eu não sei o que vou fazer. A única coisa que eu tenho certeza é que eu não vou conseguir te esquecer.

Eu já procurei em outros corpos, outros  sorrisos e até em outros cabelos cheios de ondinhas, mas não dá. É você. E se não for você, não tem graça. No meio dessa confusão toda, é de você que eu sinto falta. É você quem eu quero. Acendo mais um. Cada trago no cigarro é na esperança de trazer você de volta pra mim. Saudade intragável. Até das suas broncas eu sinto falta, sabia?! Cada cigarro aceso me vem na cabeça a tua voz brigando comigo. Vou parar de fumar, tá decidido!

Obrigado por ser a minha inspiração favorita. Pensei em trazer flores, mas na sua TPM eu sei que você prefere mesmo um Big Mac, com suco de laranja e batata extra grande. Agora sai desse quarto e abre o portão que eu sei que você tá morrendo de fome e eu tô morrendo de saudade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.