nome blog

5 de fevereiro de 2017

Eu só estava esperando você

Eu ainda tenho vontade de dar risada de nervoso cada vez que pego seus olhos pousados em mim, meio distantes, distraídos, e sinto como se o mundo inteiro saísse de órbita por alguns segundos, como se só existisse eu e você em toda essa galaxia. Eu ainda me pego assustada quando percebo o tanto de tempo que eu perco pensando em você ou quantas vezes por dia eu falo o seu nome mesmo em assuntos que não tem nada a ver. Eu ainda estremeço dos pés à cabeça quando cê se aproxima devagarinho e me abraça com força e eu sinto seu cheiro penetrar em cada um dos meus poros e tenho vontade de ficar pra sempre ali, morando nos seus braços.


Não sei se eu já te contei que eu nunca fiz muito o tipo de garota que se apaixona fácil... pra ser sincera, eu nem botava muita fé nesse papo de amor, felizes para sempre, alma gêmea. Algumas amigas diziam que, na verdade, eu morria de medo de me envolver, outras que aquilo era só uma desculpa que eu tinha encontrado pra não correr o risco de acabar me machucando de novo, mas a verdade é que eu não entendia qual era a graça que os outros viam em se entregar daquele jeito se sempre acabava mal. Por mais bobeira que pareça, eu sempre gostei de bancar a mulher segura, independente, que não se derrete por qualquer calorzinho no peito e vai muito bem sozinha, obrigada... e nem era falsidade, teatro, encenação, eu andava bem mesmo! Eu me fazia companhia, me levava pra sair e quando a carência batia, eu perdia um tempo nessas baladas. E eu achava que isso era o melhor que podia me acontecer, até que você chegou e me desarmou inteira.

Antes de você me invadir desse jeito e bagunçar cada cantinho da minha alma, eu acreditava poder controlar tudo que eu sentia, batia o pé afirmando que não entrava nada aqui dentro que eu não quisesse que entrasse, que a porta tava fechada e eu jamais cairia de amores. Eu dizia que podia ficar o resto da vida assim, sem ter de me preocupar com borboletas alugando o meu estômago e não via problema algum nisso, pelo contrário, achava ótimo! Eu não queria compromisso, essa coisa de me apegar, me envolver, me apaixonar... Eu não queria dividir meus sonhos, menos ainda minha vida, não queria alguém me dando bom dia, boa noite, perguntando como estavam as coisas. Não queria alguém que me fizesse sentir saudade sem estar longe nem há 24 horas... Mas ai você veio com esse sorrisinho de canto e o cabelo bagunçado e eu nunca senti meu coração acelerar com tanta força como ele acelera quando você chega perto.

Eu tentei fugir! Te avisei que eu nunca gostava de ninguém, que eu sou difícil, tenho o gênio forte, sou birrenta, mimada, faço as coisas da forma que eu quero e você nem se importou! Fez pouco caso de todos os meus avisos e me dobrou ao meio. Quando eu dei por mim, já tava andando de mãos dadas pelos lugares, te contando os meus medos, falando de nome de filho e sonhando acordada com um futuro a dois. Quando eu dei por mim, toda aquela minha armadura já tinha ido pro espaço, aquela pose de desapegada escorrido pelo ralo e eu já nem tentava mais me fazer de forte. Quando eu dei por mim, já tava falando de amor... é cara, de amor! Não sei o que foi que você fez, mas eu sei que deu certo, é só olhar eu aqui sorrindo a toa pro nada, vendo a vida meio cor de rosa, os dias mais ensolarados... Olha eu aqui toda boba esperando o seu bom dia, o seu boa noite, querendo te contar como é que estão as coisas por aqui. Olha eu aqui, sem querer fugir e esperando que você também queira ficar. Olha eu aqui cheia de certezas de que sempre foi você.

Hoje eu sei, e entendo, todo aquele meu discurso sobre desprendimento emocional era só porque eu tava esperando você chegar.

1 comente aqui:

  1. Viciada em cada texto lindo seu��������

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.