Nova Perspectiva

28 de fevereiro de 2017

Ela é a minha canceriana

O símbolo do signo é um caranguejo, aquele bichinho que anda de lado, sabe? Algumas pessoas dizem que ele anda pra trás, mas a verdade é que, desde que ela chegou, minha vida só tem caminhado pra frente. 

De lado, só o cabelo, quando eu coloco a mecha teimosa atrás da orelha dela e faço carinho de dedo (obrigado por me ensinar isso, Pedro Salomão). 

Eu falei que ela é do signo de câncer? 
Câncer é aquela doença que destrói vidas e rouba sonhos, mas ela não. Definitivamente não. Ela tem o dom de trazer cura pra alma mais aflita, basta ela abrir aquele sorriso largo que ela tem, que eu repito que adoro, mas ela diz não gostar, talvez pelo bel prazer de discordar de mim, talvez por ela não saber desses 'poderes' que tem.

Se a doença rouba sonhos, ela os devolve, sem fazer o mínimo esforço, apenas sendo essa guria incrível que ela é. 
Ela é esquecida, toda perdida, mas como faz pra ficar bravo com alguém tão linda?! 
'Ai, me desculpa, eu esqueci'.. Ela fala cheia de charme e toda meiga. Pronto, já foi suficiente pra eu esquecer também. 

Ela se perde nos próprios pensamentos, esquece de responder mensagem, inclusive, não liga muito pro celular e a Internet dela insiste em não funcionar,  mas ela não faz isso com a pior intenção, mas gosta quando recebe atenção. 
Vou dar uma dica: Paciência e sinceridade são os segredos pra quem quiser um espacinho naquele coração. 

Como uma boa canceriana, é exagerada no que sente  e sabe fazer drama como ninguém, mas como diz Caetano, 'um carinho as vezes cai bem'.
Ela é daquelas que falam sem dizer. Valoriza um sorriso, um gesto ou quando se aninha no peito e tem o melhor abraço do mundo inteiro. 

Digitei 'casa' no Waze e ele me mandou direto pro teu abraço. Ô aplicativo que sabe das coisas. 

Ela é canceriana, mas poderia ser de qualquer signo, contanto que ela fique aqui comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.