nome blog

11 de janeiro de 2017

Todo mundo é meio inseguro, relaxa

Alta, alta, e inabalável: é assim que ensinam que nossa autoestima deve ser. Parece até que ninguém tem um dia ruim ou se sente o bicho do cocô do cavalo do bandido.

Por mais que o empoderamento esteja aí para ser usado e abusado, precisamos nos lembrar que não é todo dia que vamos acordar estilo Beyoncé, nem que vamos ter disposição para fazer tudo que precisamos cumprir no dia.

Cê acha que aquela moça que tem o feed do instagram impecável e 14 mil curtidas nas fotos também não tem os seus momentos? Nem que seja a insegurança mais bobinha do mundo, não deixa de ser a insegurança dela. E isso, apesar de ser uma saco, é um sentimento bem normal.

A gente precisa olhar pra dentro e perceber tudo que conseguimos conquistar, conhecer e ter a oportunidade de desfrutar, porque o que somos ninguém pode questionar, tirar da gente ou desvalorizar. Porque quando se é algo, o é e pronto. Ser alguém não é como ter um título que pode ser retirado, ser alguém é deixar sua marca no mundo, suas experiências e conhecimentos todos em uma caixa chama experiência, que muda constantemente de lugar, cores, sabores, texturas, sons e gostos.

Talvez a insegurança more em cada mudança sutil na vida, do corte de cabelo novo ao novo trajeto para o trabalho. A insegurança pode ser o medo de não ser, o medo de ser e o medo de acharem que se é. Mas a bem da verdade é que o que os outros acham é mais problema deles do que nosso. Sempre vamos ter algo que desagrade de cara o outro - e não precisa ser uma alface presa nos dentes enquanto conversa sobre a situação política do país com seu chefe. Às vezes sua cor de cabelo traz lembranças ruins pra Maria, seu tom de voz seja insuportável para o João e o seu jeito de andar irrite profundamente a moça da padaria que te vê todos os dias. Impossível é agradar gregos, troianos e brasileiros. Impossível ser perfeita em um mundo cheio de variáveis.

Cê não precisa ter o nariz mais lindo do mundo pra se sentir segura para paquerar as pessoas. Não há nada de errado em não ter os 47kg da manequim da revista, até porque você ficaria com cara de doente se chegasse a esse ponto. Também não adianta tentar se encaixar em um mundo completamente diferente do que você gosta apenas para ser aceita e diminuir suas inseguranças.

Abre a porta da sala e sai toda linda, diva e poderosa. Mostra pro mundo que não há nada mais confortável em se sentir bem dentro do próprio corpo, lidando bem com os próprios pensamentos e deixa de achar que não vai agradar um ou outro.

Cê nasceu pra ser feliz, não pra passar impressões para os outros. Seja feliz, mulher!

0 comente aqui:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.