Nova Perspectiva

26 de janeiro de 2017

Nem vem, rapaz

Nem vem aparecer com esse teu cabelo bagunçado, o sorriso de lado e esse teu olhar que eu vivo fugindo, porque se eu olho sou capaz de abrir um sorriso sem perceber. Nem vem com essa mão tentando chegar na minha, o papo leve me fazendo chorar de dar risada ou com essas covinhas abrindo levemente no seu rosto. Não me venha também com esse perfume que fica tão grudado nas minhas roupas que até quando você não tá perto, eu sinto o cheiro e te imagino comigo. Não vem com essa cara de deboche, rindo quando eu falo sério e colocando a mão na minha cintura quando eu fico brava pra tentar me dar um beijo antes que eu faça um bico sem querer. Não vem não rapaz, porque eu tenho bancar a forte de que não está caindo de amores por você e cada vez que você chega mais perto me desarma.


Acontece que eu sempre fui assim, metida a sabichona, que não ia mais deixar ninguém me controlar. Acreditava fielmente que meu coração só ia sentir o que eu quisesse e por quem eu quisesse. Saia quase todos os dias para conhecer diversos caras por aí em uma noite qualquer. Não queria nem saber de compromisso, “Deus me livre” dizia sem nem pensar duas vezes e fazia questão de não me apegar a ninguém, no máximo, se o garoto fosse interessante eu passava meu número e conversava só pra tê-lo como um troféu nos amigos do facebook. Mas aí quando eu jurava para todas as minhas amigas, fotos nas redes sociais e para mim mesma o quanto eu estava bem comigo mesma, você resolveu me aparecer. Parece até que fez de propósito. 

Chegou com a maior cara lavada perguntando meu nome, como eu estava e eu fui nesse teu jogo achando que seria só mais um carinha para conhecer na noite. Mas você não queria apenas dar um beijo, queria conhecer, me fazer dar risada, ficar comigo a noite toda e eu fui nessa sua dança sem perceber que já estava caindo na sua hipnose. E dali não parou mais, foram dias de conversas ininterruptas por todas as redes sociais, sem joguinho, uma coisa muito limpa. Até que começou a se tornar parte da minha rotina te mandar mensagens e fotos do que eu estava fazendo e surgiram mais festas para irmos e então eu comecei a sentir ao tal friozinho na barriga antes de te ver. Foi tão natural a forma que tudo foi acontecendo com a gente que eu não conseguia parar (e talvez nem de fato quisesse).

Então por favor rapaz, nem vem. Nem vem porque eu sou um caos da cabeça aos pés e tem dias que nem eu me aguento. Nem vem porque eu estou cada vez mais apegada a ouvir uma música e a pensar em você. Nem vem porque eu não sei se estou pronta para perder toda essa marra que eu criei pra que achasse que eu era uma garota complicada de conquistar. Nem vem porque eu já estou cada vez mais perto de me jogar nos seus braços e não quiser mais sair. Nem vem porque meu sorriso já está presente em cada vez que o celular vibra e eu vejo seu nome no visor, nem vem porque não sei se estou pronta para assumir todo esse sentimento que vem aumentado dentro de mim. Nem vem rapaz, porque você já me tem tão fácil que nem tem mais graça eu me fazer de difícil. Na verdade, vem sim rapaz, e vê se não vai embora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.