Nova Perspectiva

10 de janeiro de 2017

Não é vingança, é lei da física

Preciso ser sincera e admitir que não estou surpresa com as suas mensagens me pedindo pra, pelo amor de Deus, nos dar outra chance e nem com as suas tentativas de se reaproximar de mim. Talvez eu até devesse estar pasma com a sua falta de vergonha na cara, mas no fundo eu sempre soube que você ainda ia querer voltar atrás e tentar recomeçar de onde paramos... como se fosse possível passar uma borracha em tudo e esquecer o quanto você me fez sofrer! Eu tinha certeza que no momento em que a solidão te cercasse e o frio tivesse insuportável, a saudade ia bater com força e você se pegaria pensando em mim enquanto a nossa música tocasse e cê lembrasse de como a gente foi feliz, porque a gente foi, não foi? E nesse momento cê se daria conta de que podíamos ter sido muito mais se você não tivesse estragado tudo. Mas você estragou.


Eu sabia que uma hora ou outra você iria se perguntar sobre o que eu ando fazendo ou como as coisas estão por aqui e olharia o meu número pensando no que falar caso me ligasse. Sabia que você ia tentar resgatar a minha voz na memória e que estremeceria quando fosse invadido pela lembrança deu sussurrando pertinho do seu ouvido o quanto eu te amava. Era previsível. Você sempre foi! Eu te falei que cê ia quebrar a cara antes de você ir embora, não falei? Eu te alertei que a farra não ia durar pra sempre, nem a minha paciência pra te perdoar. Te avisei que as noites agitadas nessas festas com um monte de bebida e mulheres que você nem sabe o nome uma hora iam perder a graça e que cê ia começar a voltar pra casa meio alcoolizado querendo me encontrar e ia chorar tudo o que eu chorei quando cê disse que o nosso amor não era mais o suficiente pra te fazer feliz.


Eu sabia que você ia olhar pra trás e se arrepender de ter seguido em frente e que então tentaria retornar desesperado na esperança deu ainda estar lá, mas você veio tarde demais. Eu te esperei sim, passei dias e noites sentada no mesmo ponto em que a gente se despediu me perguntando quanto tempo levaria pra você se dar conta de que tinha largado a mão de quem te seguraria a vida inteira. E demorou demais. Você enrolou, fez corpo mole, quis dar uma de durão. E eu fui perdendo a vontade de acreditar na gente. Cansei de ficar lá sozinha, vendo a vida passar enquanto os outros passavam com ela e resolvi ir junto. Foi questão de meses pra você sentir minha falta. Sabe aquele lance de que tem gente que só dá valor quando perde? Você é desse tipo. Quis ter o mundo e pra isso abriu mão de mim, até que se deu conta de que eu era o seu mundo e que cê tinha desistido dele.

Foi só eu começar a te esquecer pra você inventar de lembrar da gente. Postei uma foto em uma festa, te esbarrei em outra balada, fiquei sabendo que cê tava perguntando de mim pra alguns amigos e, antes do que eu imaginava, você já tava tentando ir nos mesmos lugares que eu só pra tentar me achar. E eu sabia que ia ser assim. Sempre soube. E não vou mentir não: é bom te ver me ligar de madrugada implorando preu não desligar, é bom ouvir teu choro e teus pedidos de perdão e suas declarações engasgadas, é bom te ver acompanhar meus passos e ficar me olhando de canto enquanto eu me acabo na pista de dança com outro cara. É bom ver o arrependimento estampado na sua cara. Eu te disse pra pensar bem, pra tomar cuidado com as suas atitudes, porque o mundo da voltas e ninguém fica em cima pra sempre. Eu te avisei que a gente colhe aquilo que a gente planta e você só plantou erva daninha.

Agora cê diz que nunca vai encontrar alguém como eu e que não consegue seguir em frente e eu do risada desse seu papo mole, porque até outro dia era eu quem tava chorando e me humilhando pelo seu amor. E você nem merecia... Agora eu do risada e lavo a alma por todas aquelas noites que eu passei em claro te esperando. Pode até não ser a atitude mais bonita. Posso até estar sendo um pouco imatura agora. Mas e dai? É bom te ver sofrer um pouco do que eu sofri... E não é vingança não! Nem gosto disso. É o universo, sabe? Não adianta amor... Lembra aquilo que a gente estudou em física? Lei da ação e reação: como é que você esperava ficar feliz, se nunca soube fazer ninguém ser? 

Um comentário:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.