Nova Perspectiva

2 de janeiro de 2017

E agora você quer voltar pra mim?

Não começa com esse discurso blasé de homem arrependido não moreno, esse papel já tá passado, sabe? Ficou démodé demais pra você querer encenar logo agora. Eu te esperei voltar por muito tempo, muito tempo mesmo! Passei noites em claro olhando o display do celular e torcendo pra ele brilhar com uma mensagem sua, qualquer uma, mesmo que fosse só pra dizer que tinha esquecido uma blusa no meu apartamento e ia passar pra buscar, mas no dia seguinte eu levantava com a cara inchada de quem não dormiu nada e chorou feito criança porque, não importava o quanto eu esperasse e quisesse, você nunca me procurava, nem pra me pedir pra te deixar em paz.

Eu torci pra você se arrepender de ter ido embora, pedi aos céus pra que você se desse conta de que essas noitadas na balada se perdendo em bocas que você sequer conhecia não valiam a pena, mas dia após dia você continuava a postar fotos nas suas redes sociais com copos de bebidas e mulheres lindíssimas te acompanhando, você continuava ignorando as minhas ligações e as minhas tentativas da gente se aproximar de novo. Algumas amigas falavam que quando você percebesse que tava me perdendo, ia voltar correndo, mas eu não acreditava nisso, porque quando é amor de verdade a gente não espera perder pra valorizar e eu achei que você me amasse mesmo, do jeito que eu te amava, mas eu tava errada.

Quando eu cansei de me lamentar pelo nosso fim e comecei a aceitar que a vida precisava continuar, suas saídas foram cessando e suas festas diminuindo. Quando eu passei a me abrir pro mundo, você voltou a postar as nossas música na sua linha do tempo, começou a compartilhar textos que falavam de amor e saudade e arrependimento e a soltar indiretas que eu sabia que eram pra mim. Quando soube que eu tava conhecendo gente nova e lugares novos e uma vida diferente da nossa, passou a perguntar por mim, queria que meus amigos te contassem onde eu ia, como eu tava, se eu realmente tinha te superado. Ouvi que no começo você nem botou muita fé, achou que eu tava fazendo aquilo pra te provocar, mas as semanas foram passando e eu fui ficando mais forte e você mais fraco, menos confiante. Cê viu que era pra valer quando me viu sorrindo pra outro cara, isso doeu, mas não foi em você, foi no seu ego.

Eu realmente quis que você voltasse. Torci pra você me pedir outra chance. Até promessa eu fiz por nós dois, mas nada adiantou. Você parecia ótimo sem mim e eu precisa estar ótima sem você também. Ai eu conheci outro alguém, voltei a rir, a me divertir, a ser feliz. Apaguei nossas fotos, parei de te stalkear, de esperar por você me procurando, de querer saber como é que a sua vida estava. Eu descobri que o mundo não tinha acabado quando a gente acabou e me reabri pra ele. Descobri outro beijo, outro braço, outro colo, outro cheiro, outro amor. E quando eu fechei a porta, você resolveu tocar a campainha. Logo agora você quer voltar pra mim, moreno? Depois de todo esse tempo você resolveu retornar as minhas ligações pra dizer que está sentindo muito a minha falta e que quer voltar porque percebeu que eu sou o verdadeiro amor da sua vida? Por favor... você não vê que isso é patético!?

Você não descobriu que me amava não moreno, você só tá mordido porque a garota que virava o mundo do avesso por você, já não te quer mais. Você não descobriu que me amava, porque amor a gente não descobre, sente, e você nunca sentiu nada nem perto disso por mim. Você não descobriu que me amava, só tá com o orgulho ferido. Cê achava que ia ser pra sempre o único homem da minha vida, que eu nunca ia achar alguém a sua altura e conseguir virar a página, ai, agora, que eu já mudei até de livro, você tá querendo teu posto de volta, tá se sentindo trocado, arrependido, mas não porque sente a minha falta ou me quer de volta, não tem nada a ver com sentimento, é porque você não sabe perder e não quer aceitar que eu não sou mais sua (nem o meu amor). Fica com Deus, porque comigo nunca mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.