Nova Perspectiva

9 de janeiro de 2017

Das coisas que você nem imagina que eu gosto

Você não tinha ideia, não é? Mal sabia a minha cor favorita, vivia dizendo que era azul só porque gosto de olhar o céu. Achava que eu curtia rock, quando gostava mesmo era de um bom MPB. Você tentava descobrir, mas nunca acertava. Tentava adivinhar, mas sempre errava. Eu não sei o que acontecia com você. Achava que sabia tudo quando na verdade nem tentava saber. Você nunca perguntou. Nunca quis entender. Você fingia. Achava que fazendo isso ia me ganhar e tudo o que conseguiu foi adiar a perda.


Você ao menos tentava? 

Não, eu acho que não. Se tentasse ia saber que eu adoro o inverno. Que prefiro coisas salgadas porque enjoo fácil dos doces. Que sempre fui péssima em matemática. Que não gosto de maquiagem, nem de bijuterias, nem de salto alto. Por um momento pensei que era só falta de atenção, não queria acreditar no seu desinteresse. O fato de eu ter nascido poeta não era culpa sua, eu percebia as coisas mais simples. O sorriso de uma mãe. O andar das nuvens. A brisa nas arvores. O cantar dos pássaros. O que você considerava pura monotonia, para a mim era a pureza do dia. 

Sei que você nunca percebeu o jeito que mexo no cabelo quando fico nervosa ou ansiosa. Quando bato meus pés quando estou apressada e como faço cara feia quando não gosto das coisas. Você ao menos chegou a perceber o barulho do meu coração? Acho que não. Ele já não gritava por você já fazia um tempo. Mas sabe de uma coisa? Preciso te agradecer por não ter notado nada disso. É não me notando que me fiz notar e notei alguém mais especial. Alguém que hoje sabe o quanto sou teimosa, que conhece minhas neuras, que não se importa com a bagunça do meu guarda roupa, que entende meus medos, que sabe dos meus desejos, que aceita meus sonhos. Graças a ele, hoje eu sei o significado da palavra separação e não é nada do que você falava. Não tem nada a ver com dividir, mas tudo a ver com juntar. Saber dividir o tempo que tem pra ficar junto com a pessoa que gosta. É separar seu tempo pra ficar em tempo com o amor. 

Você nem consegue imaginar, mas ele sabe que já andei de skate e quantos tombos já cai. Na vida. No skate. Isso importa? Hoje sei como é ter alguém que aceita todos os meus medos, sei como é acordar com um bom dia e ir dormir bom um boa noite, como é desejar um abraço e recebê-lo sem pedir. Com você isso tudo seria muito ficcional. Aliás, você sabia que eu já tive um amigo fictício e que já planejei me casar com ele? Aposto que não. 

Aposto que você riria disso e me chamaria de louca. 
Mas loucura de fato foi gostar de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.