Nova Perspectiva

2 de dezembro de 2016

Qual é o teu problema cara?

​Qual é o teu problema cara? Me diz, por favor, porque toda vez que eu to quase te esquecendo, você volta. Sempre que eu to conhecendo outra pessoa, cê reaparece. É só eu postar uma foto em alguma festa ou confirmar algum evento diferente no facebook que lá vem você com as suas mensagens dizendo que sente a minha falta e não consegue ver graça na vida estando tão distante de mim.

É sempre assim, já percebeu? No começo eu até achava que era coincidência e tal, mas eu já entendi que você sabe muito bem o que tá fazendo. Antes eu achava que quando você tava quase me perdendo, cê se dava conta do que tinha nas mãos e se arrependia, só que hoje eu percebi que não tem nada a ver com arrependimento, é ego, puro ego, sabe? É posse e isso não tem nada a ver com amor. Teu problema não é que você me ama demais pra me ver ir embora, nem que seus dias ficam infelizes quando eu não to neles, o problema é que é fácil ter alguém sempre disponível, não é? E você não tá disposto a abrir mão disso, mas também não tá disposto a fechar a sua mão na minha e caminhar do meu lado, sem mais ninguém no seu pé.

Você me quer, mas quer todas as outras também e acha que isso é justo comigo? Você não percebe o quão cruel essa situação é? O quão mal me faz? Olha teus amigos rindo da minha cara. Olha todas essas meninas comentando com pena da sua namoradinha. Olha no que eu me transformei. Eu era forte. Eu tinha uma puta de uma auto estima, eu ficava com quem eu queria, e agora eu to aqui, sofrendo, fraca, destruída. Você não enxerga o que tá fazendo? Ou não quer enxergar? Vai, me diz, qual é o teu problema? O que você ganha com isso? Cê diz que não consegue ter um compromisso, me pede perdão, fala que vai mudar, mas dali dois dias tá fazendo a mesma coisa e quando eu tento cair fora, você manda textão, chora, esperneia, bate na minha casa pra fazer escândalo, jura que foi a última vez, que precisa de mim pra continuar vivendo e, mais uma vez, eu passo por cima do meu orgulho e te perdoo.

Por mais que eu reflita, não consigo achar nada que justifique esse seu egoísmo. Cê não tá nem ai se eu to feliz, não é? Porque se tivesse me deixaria ir, mas você me prende, você me faz voltar, me faz ficar, mesmo sabendo que isso me faz mal, mesmo sabendo que eu choro todas as noites enquanto você se diverte sei lá com quem em alguma dessas festas que seus amigos dão. Eu não quero ser alguém que só serve quando o role tá bosta, nem uma diversão pros domingos chuvosos, mas eu já entendi que pra você isso é tudo que eu vou poder ser, então me solta! Para de me fazer desperdiçar meu tempo, para de me manter nessa história que só existe pra mim. Por favor, me liberta dessa sua esquizofrenia.

Você é uma doença que corrói a nossa alma. É um câncer mental, imaginário, e eu quero me curar! Quero me livrar do seu veneno. Então chega desse vai e volta, chega dessa nossa relação. Só chega! Porque eu não sei qual é o seu problema, mas eu não quero mais ser a sua solução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.