Nova Perspectiva

4 de dezembro de 2016

É preciso deixar ir de vez em quando

Ei garota, você vai continuar chorando, né? Vai se acomodar nesse sofá como se mais uma briga pudesse dizer o momento certo pra você borrar todo o seu rímel com mais algumas lágrimas, estou certa? Mas isso não é remédio, é tortura, e enquanto você não aprender a nadar contra essa correnteza que parece te afundar ainda mais, só resta pegar um pote de sorvete e ligar o Netflix toda noite, como se isso pudesse aliviar só um pouquinho da saudade.

Você precisa de mais tempo pra superar, mas parece que o mundo diz o contrário. Aquela música te faz lembrar da primeira noite em que se esbarraram no corredor da faculdade, e você foi embora pra casa ouvindo aquela música do Jason Walker na janela do ônibus, imaginando que não poderia existir sensação melhor do que ter alguém que parecia tão completo em quem se pensar.

Esse foi o primeiro sintoma, e a partir daí, só pirou, né? 

Você lutou com todas as forças pra dar certo, pra dizer que valia a pena tentar só mais algumas vezes, só que nenhuma tentativa deu certo, todas levaram ao erro mais de uma vez, e a única que ficou na mão foi você, a única que no final acabou não fazendo brigadeiro de panela pra mais ninguém. E até hoje essa inquietação te mata por dentro, e você não sabe responder a única pergunta que ficou: porque algumas histórias acabam rápido demais?

Seus sentidos de mulher acham que deu errado, que colocar aquela aliança no dedo foi uma baita perda de tempo, que nesse período você poderia ter escolhido sair mais com as suas amigas e ter conhecido gente nova, ter saído da caixa só uma vez, mas as opções mudaram quando vocês começaram a namorar, seu ciclo de amigos diminuiu ainda mais. Você se desapegou de quem só queria ver o seu bem pra ser dependente de uma relação que depois de alguns meses terminou, e não da melhor maneira que poderia acabar.

Garota, relacionamentos nunca são fáceis. Você precisa tomar uma dose pesada de paciência e compreensão antes de se jogar nos braços de alguém, antes de mergulhar de cabeça em uma relação, porque tudo o que você tem no começo é um meio termo, um "pode dar certo", nada muito claro.

Amor é um sentimento inconstante, seguido de altos e baixos como uma montanha russa, mas dependendo do que você faz, suas atitudes e palavras podem enfraquecê-lo, da mesma maneira que pode alimentá-lo ainda mais. Você só tem que saber a quantidade certa pra sustentá-lo, porque vai existir dias que serão ensolarados, outros chuvosos, e outros nublados.

Por isso vocês precisam estar em uma sintonia só, em uma espécie de conexão que só os dois podem sentir, o único problema é que é difícil manter essa frequência no mesmo ritmo, na mesma reciprocidade. Sempre vai existir aquele que não vai querer dar o braço a torcer, que vai querer meter o pé quando a chuva cair e começar a molhar, que não vai sacar o guarda-chuva pra se manter seco.

Se for pra começar algo, que seja por inteiro, não pela metade de um sentimento que um dia vai cair por terra, e se for pra desistir, desista de tantas lágrimas que nunca levam a lugar nenhum, se for abrir mão, abra mão de continuar acomodado no sofá achando que a dor vai sarar sozinha. Não estou falando pra ir embora na primeira briga, na primeira discussão, estou falando pra vocês serem melhores do que qualquer diferença de personalidade e de opinião, porque se não forem, é preciso deixar ir de vez em quando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.