Nova Perspectiva

2 de novembro de 2016

Vem sem medo, vem!

Pode vim. Sem medo, sem pressa, com aconchego e com vontade. Prometo não morder, a não ser que queira. Mas, essa minha pose de “quem não se importa” esconde um enorme coração. Te prometo.

Eu sei que posso parecer um pouco desacredita no amor, que não existe alguém faça bater meu coração mais forte, que estou cansada dessas declarações melosas na minha timeline. Foi tanta falta de reciprocidade que acabei desacreditando mesmo.

Mas, tudo mudou desde quando começamos a nos aproximar. É até clichê dizer que seu sorriso é motivo para que eu sorria também. Dou de ombros e esboço um sorriso amarelo quando falam isso comigo.

Por mais que não seja essa romântica como os demais, eu ainda acredito no amor. Existe, sim, um pouco de fé. Por isso, arrisco de novo. Só peço, por favor, não me deixe sozinha nessa. Vamos remar, juntos!

Admito que sei pouca coisa da vida e que me deixei levar pelas decepções que tive ao longo do caminho, mas também aprendi a não perder as oportunidades que a vida nos apresentar. Dizem que boas oportunidades passam logo e vão à procura dos bons corações perdidos por aí.

Por isso, te peço pra vim. Leve o tempo que for preciso, mas não demore a ponto de me matar de ansiedade por sua espera. Vamos matar somente nosso desejo de viver o que temos pra viver.

Sentimento é maluco quando envolve dois corações, pois o compasso pode ser um pouco diferente. O que une é o desejo te ter o outro ali por perto. Eu sei, que é muita coisa vinda de mim e é surpresa pra você que eu fale assim. Dou de ombros mais uma vez, esboço meu sorriso e te convido novamente: vem!

Apenas vem!

Deixe que o “depois” a gente descobre do lado de cá, juntinhos.

Um comentário:

  1. Que perfeição de texto, parece que descreveu exatamente o que sinto e tenho vontade de falar pra pessoa: vem, sem medo vem!

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.