Nova Perspectiva

25 de novembro de 2016

Não dá para fugir de você

Eu estourei meus limites de desculpa. Eu já não sabia mais se meu cachorro estava vivo ou se era hora de tomar chá com a minha tia avó que chegou da Inglaterra. Não sabia mais qual era a prova da semana ou qual amiga precisava do meu ombro pra chorar. Eu inventei todas as desculpas possíveis para não me apaixonar, para manter distância de você e esses olhos envolventes que conseguem me ler logo de cara. 

Eu tive medo todos os dias porque sabia que me envolveria sem nem pensar direito. Bastava só seus olhos encontrarem os meus e pedirem para eu ficar que eu ficava. Eu tive receio de mostrar que eu poderia fazer parte da sua vida, rolei na cama muitas noites só pensando no tanto que isso funcionaria se não fosse pelo meu medo estúpido de me entregar de novo. 

Então eu fugi. Corri uma maratona inteira só pra não trombar com você por aí, mas não teve jeito, meu bem, você me achou. Você trombou comigo na esquina da minha casa, eu estava numa rua sem saída quando você me envolveu com esses seus braços aconchegantes e na hora eu nem importei em fazer força para me ver solta do seu laço. Na hora em que eu me vi presa foi quando me toquei que seu colo seria meu abrigo preferido. Ainda não sei de onde tirei coragem para pular sem abrir o para quedas, talvez seja porque no fundo eu sabia que com você eu não cairia, eu planaria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.