Nova Perspectiva

15 de novembro de 2016

Eu só quero ficar um pouco sozinha

Não tem nada de errado comigo. Eu juro! São só as coisas que andam meio bagunçadas e tal, mas não é nada demais, daqui a pouco tá tudo bem de novo. Eu tenho certeza. É só uma fase, e isso passa. Eu só preciso ficar um pouco no meu canto, quietinha, sem ser obrigada a me explicar pra ninguém. Não bate na porta e nem deixa ninguém entrar. Pede pra passarem amanhã, ou depois, porque hoje eu não to pra ninguém. Nem pra mim.

Eu não to doente, não precisa chamar o médico e nem criar caso, não é anemia e nem nada psicológico, eu só to cansada. Você já sentiu preguiça de tudo? Eu to assim. É a TPM e as provas finais e o medo do futuro. É a idade que começou a pesar no ombro e eu não to conseguindo carregar. É um monte de coisas embaralhadas na minha cabeça que tão criando uma confusão tremenda aqui dentro de mim. É essa chuva fora de hora que tá estragando a minha primavera e deixando tudo meio melodramático demais. É meu siso que resolveu nascer justo agora. É a minha insônia que voltou com tudo e o horário de verão que mexe com o meu metabolismo. É só um terremoto. Mais um. E eu já sobrevivi a outros.

Cancelei meus compromissos e vou ficar na cama. Esquece as reuniões e as entregas e seja lá mais o que eu tinha pra fazer. Hoje eu só vou ficar assim, embrulhada nesse cobertor assistindo a minha série na televisão e tomando uma xícara de chocolate quente. Já coloquei a plaquinha de não perturbe na porta e desliguei o celular, o telefone também tá fora do gancho e a minha cabeça de órbita. Nem adianta tentar, eu não to nesse planeta. Fica tranquilo, é só uma fase. Não precisa esquentar a cabeça e nem tentar resolver os meus problemas. Eu me viro com eles. Só preciso de um tempo.

Tá tudo bem. É sério. Eu só não quero ficar desfilando por ai com cara de simpática. Hoje eu não to pra ninguém. E amanhã talvez eu ainda não esteja. Mas cedo ou tarde eu vou estar sorrindo por ai de novo e a gente toma umas cervejas e conta umas piadas e passa a noite toda rindo. Só que agora eu não quero companhia. Nem a sua e nem a ninguém. É que eu preciso ficar um pouco comigo mesma, me fazendo companhia nessas noites frias de novembro. É que a minha cabeça tá meio bagunçada e só eu posso arrumar. E eu não aprendi a jogar a bagunça pra debaixo do tapete e fingir que não to nem ai.

Eu só vou dormir a tarde toda ou a semana toda e depois eu sei que acordo bem. Eu só quero aproveitar que não preciso sair da cama e esquecer um pouco que existe mundo lá fora. Depois eu escuto suas histórias e respondo as minhas mensagens, é que hoje eu só tenho ouvidos pra mim. E me ouvir tem demandado um bocado de tempo, mas ó: tenho me feito um bem danado. To ouvindo minhas dores e as reclamações e to tirando do lugar o que não encaixa mais. É um recomeço. Um desafio. Um momento. E eu to vencendo. Já, já tá tudo bem de novo. Eu juro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.