Nova Perspectiva

13 de novembro de 2016

A gente acabou, mas ainda te amo

​Eu minto quando perguntam se eu já te esqueci. Digo pra todo mundo que você é passado e não há mais nenhum resquício do que eu sentia, mas na verdade eu ainda não te superei e talvez nunca consiga fazer isso completamente.

Não deu certo. As nossas brigas foram consumindo tudo o que a gente tinha de bom. De repente começou a parecer sem sentido estarmos juntos. Mas ai eu lembrava do começo, sabe? E de quanta coisa a gente venceu pra tá junto. Isso me fazia acreditar que nós daríamos um jeito em toda aquela confusão, tinha de haver uma maneira pra colocar as coisas de volta no eixo. Mas quanto mais tempo passava, pior as coisas ficavam.

Eu queria reencontrar aquele casal que se conheceu na fila de uma festa e se apaixonou de cara. Eu queria lembrar de como ela se sentia quanto te olhava e do tanto que transbordava dos seus olhos quando você dizia que me amava. Eu queria lembrar que a gente desafiou o mundo pra conseguir ficar junto, queria te fazer ver que não dava pra jogar tudo fora, não naquela altura da vida, porque a gente nunca teve nada a ver e mesmo assim nos apaixonamos, então não dava pra desistir de nós.

Torci pra você lembrar do que nos unia. De como a gente se encaixava perfeitamente um no outro mesmo sendo de formas opostas. Eu não queria aceitar que a nossa história tava chegando ao fim. Não podia ser, entende? Como que um casal se separa tendo tanto amor como a gente tinha? Não fazia sentido na minha cabeça. E mesmo assim cada dia ficávamos mais distantes, como se a nossa relação tivesse se arrastando e a gente não tivesse mais conserto.

Não deu pra segurar. O nosso final era inevitável, mesmo a gente se amando. E cada um foi pra um lado. Cê seguiu sua vida, eu fui pra outra cidade, as coisas foram mudando, mas aqui dentro continua igual e eu sei que ai também. Sei porque da última vez que a gente se viu eu achei aquele menino no seu olhar e a menina que eu escondi aqui dentro suspirou apaixonada por ele. E a gente pode não ficar junto agora, mas eu sei, e você também, que não acabou por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.