Nova Perspectiva

28 de outubro de 2016

Para de me enrolar moreno


Não vem com esse papo de que amanhã a gente conversa porque hoje cê tá muito cansado e a semana foi estressante e sei lá mais o que, eu já cansei dessas suas desculpas moreno, você sabe que se a gente não conversar agora, vamos continuar empurrando essa situação com a barriga e ela só vai piorar. Em algum momento teremos de colocar isso em pratos limpos, é melhor que seja agora.

Vem pra cá mais tarde, não precisa nem tocar a campainha que eu vou deixar a porta aberta, só não inventa de trazer vinho ou pizza ou o meu chocolate favorito moreno, cê não vai me comprar com essas coisas e nem com um milhão de beijos. Nada vai me fazer deixar isso pra depois, porque eu não posso continuar engolindo todas essas coisas que eu tenho pra te falar.

Eu gosto de você moreno. Gosto o suficiente pra sentir que o meu mundo muda quando você está nele, mas nos últimos anos eu aprendi que só isso não é suficiente. Nos últimos anos eu descobri que pra uma história dar certo, é preciso de muito mais do que só se dar bem e dar algumas risada junto. Tem que ter reciprocidade, sabe? E eu não sinto isso em você.

Não me leve a mal, eu não to te cobrando de nada. Sei que a nossa relação não é séria e que você não me deve satisfação disso ou daquilo, só que eu tenho o direito de saber onde eu to pisando, não tenho? Você diz que me quer, mas no minuto seguinte tá se perdendo na infinidade de contatos que tem no whatsapp e eu fico me questionando, cê me quer até quando? Até aparecer outra? Até enjoar da gente?

Eu não sei pisar na pontinha do pé quando eu to me envolvendo, não consigo entrar devagar em alguém, pra mim não faz sentido ter que tomar cuidado. Quando eu quero, eu me jogo! Eu mergulho, eu me afundo... Eu não penso nas consequências e isso já me rendeu algumas feridas, mas tudo bem, eu to viva, eu to inteira, e é por isso que eu continuo aqui, é por isso que eu ainda não bloqueei seu número e te mandei embora da minha vida.

A sua fama nunca foi segredo pra ninguém moreno, mas eu não me importei com isso. Certas coisas valem o risco, você valia. Só que eu gosto de jogo limpo, de cartas na mesa, e cê tá trapaceando. Não adianta dizer que não, porque nós dois sabemos que está. Você vem com um monte de declaração de amor e frases prontas e surpresas apaixonadas e depois vai, como se a gente não significasse nada.

Em momento algum eu te pedi compromisso, também não falei que queria namorar, casar e ter filhos, mas desde o começo eu deixei bem claro que não sou de andar em areia movediça. Eu gosto de saber onde estou pisando, mesmo que o terreno seja meio íngreme e buraquento, igual você é. O problema não é esse, nem as suas inconstâncias e idas e vindas, o problema é que você tá me enrolando.

Já faz uns anos que não somos mais adolescentes. Você não precisa se comportar igual um moleque e fingir sentir o que não sente só pra me convencer a ficar. Não fica de gracinha, se o que você quer não é isso, não planeja uma vida ao meu lado, se pretende ir embora amanhã. Deixa eu escolher o que eu quero, mas a partir do que você sente de verdade.

Para de me enrolar moreno! Para de vir com essas frases prontas dizendo que eu sou o amor da sua vida, enquanto manda músicas pra outras meninas. Não estraga a nossa história só por não saber o que você quer. Pensa com calma, analisa, escuta aquela voz que vive dentro da gente, mas não me deixa esperando na sua estante enquanto cê se diverte. Se você gosta de ser livre, saiba que eu também sei voar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.