Nova Perspectiva

30 de outubro de 2016

O mundo não vai acabar amanhã


Crescer é punk. De repente você não pode dormir mais cinco minutinhos porque nenhum atraso é tolerado, aquele papo de precisar ter oito horas de sono por dia pra manter a saúde começa a parecer desculpa de preguiçoso e seu tempo livre vai se tornando tão escasso que cê nem lembra mais quando conseguiu ficar deitada assistindo a sua série preferida sem ninguém te encher o saco alertando que a vida tá rolando e te deixando pra trás.

Aos vinte você não é mais uma adolescente, mas também não sabe ao certo se já tá pronta pra vida adulta. O mercado de trabalho começa a se transformar naquele monstro que tanto te assombrava quando cê era criança e você olha ao redor e vê que um monte de gente já tá conquistando um monte de coisa e se pergunta o que é que aconteceu com a sua vida que nada está dando certo. Há uns anos você tinha planejado que nessa fase já estaria comprando seu primeiro carro e teria um cargo bom naquela empresa dos seus sonhos, mas ainda luta pra não queimar o miojo que demora bem mais de três minutos pra ficar pronto.

Ninguém te avisou que seria assim e você nem pode correr pro colo da sua mãe porque tem um monte de trabalho atrasado e você nem sabe se vai conseguir dormir essa noite direito. Cê espera um milagre acontecer enquanto equilibra suas crises de ansiedade com a angustia de não saber se está seguindo pelo caminho certo e a faculdade que não é bem aquilo que você imaginou e as contas altas que não batem com o seu salário pequeno. O mundo virou ao contrário, tá de ponta cabeça e o relógio tá correndo mais rápido do que deveria e você não consegue pensar em nada pra arrumar isso.

Suas amigas já tão casando e aquela sua vizinha de vinte e três anos tá indo trabalhar fora enquanto o seu intercâmbio ainda nem rolou e sua conta é universitária e você reclama de precisar arrumar a sua cama. Quando é que chega a nossa vez? Você manda uma infinidade de currículos por dia e vende umas roupas velhas num brechó pela internet pra ver se descola um pouco mais de grana e se concentra em fechar mais um semestre sem pegar dp e de repente tá cantando Justin Bieber e refletindo se ainda dá tempo de pedir o ingresso do show dele de natal pros seus pais.

Cê olha pro passado e se questiona se aquela criança teria orgulho de ver onde você chegou e se dá conta de que cê andou tão pouco que ela te acharia patética e pensa que já viveu um quarto da sua vida e não conquistou porra nenhuma e se desespera mais uma vez. Outra noite perdida pros fantasmas que sussurram no seu ouvido que o mundo todo tá passando na sua frente. O coração acelera mais uma vez no ônibus e você pede pra pelo amor de Deus não estar infartando aos vinte anos porque nem da casa dos seus pais você saiu ainda e se sente ridícula por estar chorando no meio de um monte de estranhos e nem isso conseguir controlar.

Os outros te cobram. Você se cobra. O banco também. E mais alguém que cê nem ter certeza de quem é. Até ontem você ainda jogava The Sims e dormia a tarde toda depois de voltar do colégio e agora fica se perguntando como é que você vai dar um jeito em tudo isso. O que não te dizem é que a culpa não é sua e que a gente não precisa viver querendo realizar tudo pra ontem. O mundo não acaba amanhã e nem depois e depois e depois.

Eu sei que você imaginava estar vivendo um momento diferente na sua vida, que a essa altura já queria ter conquistado uma porção de coisas, mas cada um tem seu tempo. Não é porque fulano e ciclano conseguiram isso ou aquilo, que você é menor por ainda estar descobrindo como é que se faz macarrão. Aos coisas vem aos poucos, pra uns demora mais que pra outros e tudo bem. Sério! Cê não precisa ficar se lamentando pelos cantos e fugindo de todo mundo só por medo de não corresponder aquilo que esperam de você. O importante não é estar ganhando cinco mil ou dando entrada em um puta apartamento, o importante é saber que cê tá tentando.

As coisas vão se ajeitar. Daqui a pouca aparece a vaga certa e te chamam pra uma entrevista e você vai super se identificar com aquilo. Daqui a pouco você esbarra com alguém e descobre que o amor também é pra você. Daqui a pouco suas dívidas acabam e você vai não vai mais estar deixando o seu arroz com gosto esquisito. Daqui a pouco seu intercâmbio vai estar certo e seu inglês vai sair fluente. Daqui a pouco você começa a amar essa independência que a gente conquista com a vida adulta. E ainda vai dar pra ir no show que cê tanto quer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.