Nova Perspectiva

10 de outubro de 2016

Nossos signos não batem


A gente não tem nada a ver, mas eu nem precisava ir tão longe pra perceber isso, tá na nossa cara. Você é meio reticências, eu sou toda exclamação, você diz a, eu grito z, você pede cerveja, eu mais um copo de água com limão, você vai de rock, black, rap, eu to mais pra uma roda de samba, um som no violão. Somos opostos. Direita e esquerda, yin e yang, certo e errado. Eu sempre certa, só pra não perder o costume da implicância. A gente vive discutindo, não importa o assunto, nós nunca chegamos num consenso, eu sou cabeça dura e você discorda de tudo, as vezes eu acho que é só pra me irritar, isso cê não confirma, mas sempre que eu falo solta um sorrisinho que denuncia suas intenções.

Fomos teimosos. Somos. Resolvemos insistir no caminho mais difícil. Era óbvio que acabaria assim, nesse beco sem saída que nos obriga a voltar atrás e seguir caminhos diferentes pra não empacar de uma vez, mas e dai? A gente precisava quebrar a cara. Nossos amigos não entendiam o que estávamos fazendo juntos "mas vocês não tem nada a ver" eles diziam, e a gente não tem mesmo. É incrível. Eu te convido pra praia, você quer ir pro campo, eu marco um jantar, você insiste num almoço, cê reserva os ingressos pro teatro, eu prefiro cinema. E nessa queda de braços tudo acaba sempre empatado. E chato. É uma mistura de amor com bode - aquele sensação de preguiça que a gente sente pelo outro. E no final desistimos. Da conversa, não da gente.

Porque eu continuo aqui e você continua aqui e a gente continua insistindo mesmo sem ter pra onde fugir, tudo indica que vai dar errado, mas sempre que eu digo que vou embora você segura o meu braço e me convence a insistir na gente e quando você desiste sou eu quem te peço pra tentar só mais uma vez, e de uma em uma a gente já tentou várias. E por mais que vocês lutem continua dando errado, alguns diriam, mas eu discordo totalmente, afinal, a gente tá junto, não tá? Só não sei por quanto tempo. Olhei o horóscopo ontem, o nosso problema é karma. Não adianta, os astros não concordam com a nossa união. É contra as estrelas, os astros, a vida, o universo. É contra tudo.

Talvez a gente seja impar demais pra ser par. Sei lá. Só sei que não dá, mesmo quando a gente tenta e quando prometemos que vamos melhorar e mudamos uma ou outra coisa, sempre aparece algo novo. Uma discussão, um problema, uma briga e lá vamos nós ficarmos sem conversar por uma semana até a saudade bater e a gente perceber que não da pra fugir do outro. Então você me manda uma mensagem ou eu te ligo de madrugada e o sentimento fala mais alto que todas as nossas diferenças. Não era pra ser, mas a gente foi. Eu sei que nossos signos não batem, mas vai explicar isso pros nossos corações que cismaram de bater um pelo outro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.