Nova Perspectiva

27 de outubro de 2016

Não quero mais você

— O que você quer de mim?
— Eu quero você.
— Corta essa.
— Eu to falando sério.
— Tá bom e você quer que eu acredite também em papai noel e coelhinho da Páscoa?
— É tão difícil assim confiar em mim?
— É. Se você tivesse no meu lugar confiaria?
— Eu mudei...
— Tá vendo?
— O que?
Nem você confiaria em você mesmo.
— Eu dei mancada, mereço sua desconfiança, mas to dizendo que me arrependi, eu percebi que não posso viver sem você.
— Tá bom, agora que cê já falou pode ir embora!
— Pô morena, não faz isso com a gente.
— Não faz isso com a gente? É sério? Olha o que você faz com a gente, olha o que você faz comigo!
— Eu sou um novo cara agora.
— Ótimo! Espero que você encontre uma nova mulher e que ela não faça com você o que cê fez comigo.
— Deixa eu te provar que eu mudei.
— Quem quer provar não pede. Você ainda é o mesmo!
— Não sou não. Eu cresci, amadureci. As coisas são diferentes agora, eu juro!
— Ok moreno, acabou?
— Da mais uma chance pra gente.
— Eu já dei várias.
— Só mais uma...
— Não rola.
— Por quê?
— Eu não consigo.
— Tenta.
— Não quero.
— Não fode a gente morena...
— Quem fodeu com tudo foi você, foram suas mentiras, suas desculpinhas, suas indecisões. Cê achou o que, que eu ia ficar te esperando pra sempre? Que eu ia continuar sofrendo sozinha enquanto você se divertia com outras garotas? Não mesmo!
— Então você arranjou outro alguém?
— Mais ou menos.
— Como assim?
— Não precisei arranjar, porque essa pessoa sempre esteve perto de mim?
— E quem é esse cara? Quem é que já tava de olho em você?
— Não é ele.
— Não?
— Sou eu.
— Que?
— Engoli duas doses de amor-próprio e te coloquei pra fora. Eu me faço muito mais feliz do que você já me fez. Agora dá pra você ir?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.