Nova Perspectiva

10 de outubro de 2016

Filme É fada com Kéfera Buchmann

Dia 6 de outubro estreou nos cinemas de todo Brasil a comédia É fada, que conta com a super atuação da youtuber Kéfera Buchmann no papel da fada Geraldine e da talentosa Klara Castanho como a personagem Júlia. O longe é inspirado na obra "Uma Fada Veio Me Visitar" da escritora Thalita Rebouças, a produção foi de Daniel Filho e a direção de Cris D’Amato.
Com as salas lotadas desde que a pré-estréia, não tinha como não ir assistir! Se você curte aqueles filmes de colegial americano, provavelmente vai gostar muito do É fada, isso porquê ele tem uma pegada muito forte de "meninas malvadas" e outros na mesma linha. Aliás, se você já assistiu means girl (espero que já!) vai sentir bastante essência dele na construção geral da história.
O filme é preferencialmente pro público adolescente (a partir dos 12), apesar de muito ter sido falado sobre os palavrões, eu particularmente não achei nada de exagerado. A história gira em torno de Julia e a sua "fada madrinha". Julia é uma adolescente que mora com o pai e acabou de mudar de colégio, ela tem muita dificuldade pra lidar com essa mudança e, principalmente, interagir com os seus novos colegas. Numa noite ela recebe a visita da fada Geraldine que, após perder as asas ao ser responsável pelo famoso 7x1 da Alemanha no Brasil (quem lembra??), precisa ajudar a menina a se tornar popular para consegui-las de volta.
Para ajudá-la, Geraldine bola um plano envolvendo um "extreme makeover", ou seja, uma transformação total, que irá tornar Luna uma das garotas populares, só que a fada é tão desastrada que, em alguns momentos, mais atrapalha do que ajuda a menina, e é no meio de muita confusão que o longo vai se desenrolando. É fada, lida com assuntos do cotidiano dos jovem e traz pro cinema nacional um tema que já é recorrente nos filmes internacionais.
Um ponto alto é que ele conta com uma ótima trilha sonora e um elenco super talentoso. Aproveitando o gancho, Kéfera conseguiu provar quem tem bastante talento pra atuar, lembrando que ela já fez teatro e contou que entrou no Youtube pra conseguir seguir carreira de atriz. O ponto fraco é que ele deixa na gente a sensação de que algumas cenas podiam ter sido mais desenvolvidas, ainda que isso acarretasse em mais tempo de filme (ninguém ligaria, né!??).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.