Nova Perspectiva

18 de setembro de 2016

Onde foi que eu errei?


Sou cheia de erros e defeitos, mas, todos os momentos em que enfrentei as minhas inseguranças foi por sua causa, embora, hoje, você seja a causa de todas as minhas inseguranças.

Só por você fui capaz de ser corpo, alma e coração. De sair da minha zona de conforto, esquecer os meus (falsos) limites e fazer o que jamais pensei que pudesse fazer por alguém. Você me fez conhecer o meu melhor, mas, por outro lado, mostrou que o meu melhor pode não ser o suficiente (pra você).

Me peguei chorando pelos cantos, implorando pra Deus que Ele fizesse qualquer coisa que eu não consegui fazer pra abrir seus olhos (ou o seu coração) e te fazer enxergar o quanto você erra em desperdiçar o meu amor.

Busquei inúmeras formas de te convencer a ficar, desde as declarações mais românticas até o formato da calcinha. Procurei diferentes alternativas, mas não encontrei nada que eu já não tivesse feito por você.

Se tiver alguma coisa que eu ainda possa fazer pra salvar o que fomos, me conta. Eu faço. Não tenho vergonha de expor minha vulnerabilidade diante do amor. Eu dou a minha cara à tapa para os meus sentimentos e não acho que isso seja falta de amor próprio. Muito pelo contrário, tem que ser muito forte pra se entregar as fraquezas. Tem que ter muito amor dentro de si pra se doar. Mas, pela primeira vez, eu sinto que estou deixando de ser forte e já quase deixei de me amar por sua causa, porque te dei todo o meu amor. Por isso, se eu não puder fazer mais nada, olha aqui nos meus olhos – encharcados pela minha impotência – e me diz se te faltou atenção, carinho, compreensão, humor, atitude, sinceridade, amor… Cara, o que te faltou?

Faltou eu ser mais extrovertida? Tímida? Quieta? Falante? Palhaça? Recatada? Ciumenta? – acho que não – Segura? Insegura? Gorda? Magra? Romântica? Madura? Imatura? Engraçada? Sem graça? Séria? Egoísta? Ousada? Parceira? Nerd? Atleta? Paciente? Impaciente? Louca? Desencanada? Ansiosa? Sensata? Abusada? Egocêntrica? De cabelo enrolado? Ondulado? Vermelho? Verde? Rosa? Preso? Careca? Quais adjetivos faltaram?

Faltou mais cafuné antes de dormir? Mais beijos apaixonados ao acordar? Faltou dizer “eu te amo” no seu olhar? Onde foi que eu errei? Errei na cor do batom ou no gosto do Halls? Errei no excesso de maquiagem ou na falta dela? Errei na roupa ou sem ela? Errei arrumada ou desarrumada? Errei em oferecer Skol Beats ao invés da tradicional? Errei na pressa ou na calma? Errei em assistir tv ao invés de filmes? Errei em te dar batata Lays ao invés de um jantar? Errei no pão com creme ao invés de pão salgado no café da manhã? Errei no presente ou na carta? Errei pelo o que eu “curti” ou deixei de “curtir” (online ou off-line)? Errei por querer saber demais ou de menos? Errei pelas mensagem que deixei de mandar ou pelas vezes que perguntei se já te disse “hoje” que você é lindo? – Aliás, hoje eu já disse?

Errei por ser eu ou por ter escolhido você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.