Nova Perspectiva

22 de setembro de 2016

Me deixa entrar

- Oi
- Oi?
- Tudo bem?
- Desculpa, te conheço?
- Não, mas deveria.
- Posso saber o porque?
- Porque eu te vejo
- Stalker?
- Eu seria stalker se eu procurasse por você, eu te observo, é diferente.
- Explica...
- Todos os dias você chega nesse ponto de ônibus, com fone no ouvido e opta por não sentar. Coloca o cabelo atrás da orelha e olha pro sentido contrário ao que o ônibus vem, nunca entendi isso.
- Costume.
- De que?
- Acho que as chegadas me frustam.
- Porque?
- Porque ver chegar é fácil, deixar partir que é difícil.
- Garoto?
- É.
- Namorado?
- Não sei bem o que éramos, só sei que deixamos de ser.
- Eu sinto muito.
- Eu deixei de sentir.
- Você faz toda essa pose pra enganar quem?
- Acho que a mim mesma.
- Eu nunca vou entender isso.
- O que?
- O porque as pessoas depois de machucadas são avessas ao amor.
- Ninguém gosta de se machucar, por exemplo, quando você era pequeno gostava de cair de bicicleta e ter os joelhos ralados? Eu nunca gostei.
- Mas isso nunca me privou de deixar de andar de bicicleta.
- Mesmo com todas as caídas?
- Sim, acho que elas servem de aprendizados, não?
- Acho que sim, mas ainda não estou pronta para cair novamente.
- Como se você tivesse que estar pronta para subir na bicicleta..
- Bom, tecnicamente eu tinha!
- Mas não falam que a coisa que a gente nunca esquece é de como anda de bicicleta? Você sobe nela, e pedala. Não tem muito esforço.
- Não sei onde você quer chegar.
- Só acho que você deveria parar de ser tão medrosa com medo de sentir e se magoar e se arriscar um pouco.
- Me arriscar pra que?
- Você nunca sabe o que vai encontrar, vai fugir disso até quando?
- E eu posso saber porque você está tão interessado em saber da minha vida?
- Bom, porque se você não percebeu, acho que eu estou afim de entrar.
- Eu não estou aberta a novos passageiros.
- Então você nunca vai deixar o outro ônibus ir? Pode chegar algum mais vazio, com banco de sobra e é capaz de ainda chegar mais cedo onde precisa.
- O que você quer de mim?
- Agora? Um sorriso. E sábado às 15:00, um café.

Um comentário:

  1. Quanta saudade eu tinha de vir aqui <3
    não conhecia a Mariana AINDA, mas foi um grande achado vir aqui e encontrar texto dela *-*
    muito fofo e sensível!

    beijo
    beinghellz.com

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.