Nova Perspectiva

17 de setembro de 2016

Eu só consigo ver que eles não são você


Eu queria, meu Deus como eu queria, olhar pros outros caras e enxergar ali o potencial de alguma coisa que pudesse tirar meus pés do chão, mas tudo o que eu vejo é o vazio que fica por não ser seus olhos que eu encontro. Tentei te esquecer, como eu havia prometido que conseguiria, nos últimos meses isso foi tudo que eu fiz, mas eu falhei. E você continua dentro de mim.

Eu queria achar esse cara que tá agora comigo sentado na mesa de um bar engraçadinho, mas eu só consigo pensar que era só com você que toda conversa tinha graça. A gente falava da novela das sete, do último episódio de Dexter, dos filmes do Almodôvar. Discutíamos os discursos dos políticos e refletíamos sobre a esquerda e a direita, analisávamos os astros mesmo sem entender coisa alguma de astrologia, e até da criação do mapa mundial, tudo com a mesma intensidade. E agora eu só consigo achar essa papo chato demais porque ninguém me prende como você me prendia.

Eu queria achar aquele menino da minha sala bonito como todas as minhas amigas acham e conseguir escrever poesias sobre a forma como ele joga o cabelo fazendo charme enquanto fala com qualquer pessoa e finge não perceber que todo mundo o admira de queixo caído, mas como eu poderia ficar hipnotizada na beleza de alguém depois de ver você sorrir tão de perto em algumas manhãs de domingo? Não dá. Depois de conhecer você não tem como eu achar mais ninguém perfeito.

Eu queria assistir esses romances sem ficar o tempo todo imaginando que podia ser a nossa história porque de algum jeito tudo o que fala de amor me leva até você ou então, que bom seria, se fosse você ali comigo naquela sala escura sentado no lugar do cara com quem divido um pacote de pipoca com manteiga e enquanto os créditos passam na tela eu seguro o choro porque nenhum dos dois nunca mais vai ser assim. E eu preciso aceitar.

Eu queria não procurar os seus beijos em outras bocas quando saiu pra te esquecer, mas quando vejo já estou fazendo comparações pra ver se algum deles me levam as nuvens como você levava. E eu continuo no chão. Eu queria não achar os outros cheiros tão ruins só porque o seu perfume combinava com o meu e queria, mais ainda, conseguir acreditar que um dia vai ser diferente. Mas não vai.

Eu queria conseguir colocar um ponto final na nossa história e seguir em frente, mas eu nunca quis que cê fosse embora. Eu queria tentar, mas você desistiu. Eu queria dizer que já to em outra e que acabei descobrindo que não é tão difícil ser feliz sem você, só que tudo o que eu consigo é ver que todos esses caras, por mais bacaninhas e gente boa que sejam, não são você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.