Nova Perspectiva

8 de setembro de 2016

Empodere suas mulheres


Faz algum tempo que comecei a me questionar sobre algumas coisas. Decidi sair da minha caixinha e procurar entender a realidade dos outros e tentar sentir na pele, uma pele que não era a minha, o que as pessoas passavam. Faz algum tempo também que comecei a ler e me interessar mais sobre o feminismo. No começo li algumas matérias, a maioria eram manchetes que ganhavam destaque na mídia e todo mundo acabava comentando e dando sua opinião. Comecei então a pensar mais sobre o assunto, pesquisei cada vez mais e foi como se um mundo de opções e ideais, um mundo novo e desconhecido se abrisse para mim.

Eu fui criada a partir de uma religião, ouvi e aprendi desde pequena que nós mulheres não estamos no mesmo patamar que os homens e por esse motivo é quase uma dadiva quando um homem quer se casar com você, quando um homem quer paquerá-la ou quando um homem simplesmente te nota. Aprendi que existem sim mulheres para ‘pegar’, namorar e casar e Deus me livre ficar nesse primeiro grupo. Não importa o que houvesse, não importasse como, era preciso estar sempre agradável aos olhos alheios, no caso os olhos dos homens.

Então, lendo e buscando aprender mais sobre o feminismo, eu peguei toda essa bobagem e descartei. Milhões de ideais e histórias me foram contadas, comecei a entender que ninguém além de você pode julgar o que lhe cai bem, o que fica mais bonito, mais confortável ou quem sabe mais na sua medida, além de você.

Eu não sei se sou feminista, não sei se meus ideais chegam a me rotular como feminista. De fato, nunca tive oportunidade de participar de alguma passeata, nunca debati sobre o assunto e esse é o primeiro texto que escrevo sobre o tema, mas o que eu sei é que coisas mudaram por aqui, e como mudaram.

Cantadas que te deixam desconfortável não são elogios, usar um salto que machuca seu pé apenas para ficar feminina não é um sacrifício valido. Ouvir, “mas também, vestida desse jeito queria o que”, não é argumento para nada. Aprendi que nenhuma mulher nesse mundo é minha inimiga, que nenhuma delas esta disputando uma competição de beleza ou inteligência comigo, e que minha única e maior concorrente sou eu mesma. Entendi que não preciso me sentir ameaçada por haver uma mulher bonita perto do meu parceiro, sempre haverá mulheres bonitas e homens bonitos, desde que o mundo é mundo é assim sabia? Uma mulher bonita não vai definir o caráter de um homem, se alguém é mau caráter, será em qualquer circunstancia ou estação. Aprendi que se eu sou contra o aborto, posso optar por não fazer, que se sou contra anticoncepcional posso optar por não toma-lo e que se eu não quiser usar maquiagem, não preciso usar, mas só se eu realmente não quiser.

Como eu disse, não sei se posso me classificar como feminista, mas posso com toda certeza me classificar como empoderada, pois descubro um poder em minhas mãos, um poder que ninguém havia me dito que eu tinha. Passei então a espalhar essa novidade por ai, compartilhei com as amigas, dividi com elas histórias e relatos de mulheres que sofrem um machismo real, que mata, fere, humilha e continua ai, presente no nosso dia a dia.

Não sei se sou feminista, mas sei que não sou obrigada a me esconder mais, nem a fazer nada que não queira, não sou obrigada a casar, ter filhos, saber cozinhar, usar rosa, aprender a agradar um homem na cama. Eu só farei essas coisas se eu quiser, cabe a eu decidir. E toda vez que minha irmã diz que minha sobrinha precisa ser mais menininha, e eu respondo, bom eu acho que ela pode ser o que ela quiser, eu sinto que talvez eu ainda não seja feminista de fato, mas estou cada dia mais empoderada e ensinando todas que encontro no caminho. Eu não quero ser sua inimiga, eu não quero ser melhor que você, eu não quero tomar o lugar dos homens, veja bem, nós queremos o nosso lugar, as nossas opções de liberdade, queremos o que é nosso, sempre foi nosso, mas sempre nos disseram o contrário.

Você não precisa concordar com tudo que o feminismo diz você não precisa se unir a uma ideologia se isso não lhe agrada, você não precisa deixar de usar batom ou querer casar, você pode continuar sendo a mulher mais tradicional e feliz da forma que você quiser. A única coisa que você precisa é se empoderar de tudo que tem nas mãos, é juntar todo o seu poder que nunca foi lhe dito que você tinha e entender, que não importam quais são suas escolhas, não importa qual é sua cor, sua classe social, sua orientação sexual, o que importa é estar bem consigo mesma e espalhar esse seu bem estar para todas que encontrar.

Empodere-se. A palavra pode não existir, mas o sentido e o objetivo dela são reais e vai te mostrar um mundo que você nunca achou que fosse conhecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.