Nova Perspectiva

7 de setembro de 2016

3 filmes nacionais que vale a pena assistir

Não é de hoje que o nosso cinema nacional anda muito bom, eu, como boa apaixonada pelos filmes daqui, não acredito que ainda não fiz nenhuma postagem com alguma indicação! Estou me sentindo quase uma falsiane e pra retratar o meu erro eu trouxe 3 dos últimos filmes que eu vi estes meses e amei.

Nenhum deles é comedia (apesar de amar o gênero) porque o que eu quero, hoje, é mostrar que temos muita diversidade e muita qualidade naquilo que produzimos, só precisamos valorizar mais, não é!? Espero que gostem do que eu separei.

1. Hoje eu quero voltar sozinho


Prepare o coração, você vai se emocionar.
Leonardo é um adolescente cego que, como qualquer adolescente, está em busca de seu lugar. Desejando ser mais independente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção de sua mãe. Para decepção de sua inseparável melhor amiga, Giovana, ele planeja libertar-se de seu cotidiano fazendo uma viagem de intercâmbio. Porém a chegada de Gabriel, um novo aluno na escola, desperta sentimentos até então desconhecidos em Leonardo, fazendo-o redescobrir sua maneira de ver o mundo.

2. Central do Brasil


Qualquer filme que tenha Fernanda Montenegro merece uma atenção especial, né não!?
Dora (Fernanda Montenegro) escreve cartas para analfabetos na estação Central do Brasil. Uma das clientes de Dora é Ana, que vem escrever uma carta com o seu filho, Josué, um garoto de nove anos, que sonha encontrar o pai que nunca conheceu. Na saída da estação, Ana é atropelada e Josué fica abandonado. Mesmo a contragosto, Dora acaba acolhendo o menino e envolvendo-se com ele. Termina por levar Josué para o interior do Nordeste, à procura do pai. À medida em que vão entrando país adentro, esses dois personagens, tão diferentes, vão se aproximando. Começa então uma viagem fascinante ao coração do Brasil, à procura do pai desaparecido, e uma viagem profundamente emotiva ao coração de cada um dos personagens do filme.

3. Que horas ela volta


Um milhão de tiros bem no meio do estômago.
A pernambucana Val se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino vai prestar vestibular, Jéssica lhe telefona, pedindo ajuda para ir a São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

Gostam também de filmes nacionais? Quais outros filmes vocês indicariam? Comentem aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.