Nova Perspectiva

22 de agosto de 2016

Você não tem azar no amor, você têm sorte


Seus olhos encharcados não permitem que você esconda a frustração de mais uma decepção entulhada na sua estante de desamores. Não é fácil, eu sei, e parece que o mundo todo vai desabar a qualquer segundo porque não tem mais nada forte o bastante segurando a estrutura e você tá fraca demais pra levar tudo nas costas, mas ele não desaba não. A gente aguenta. Mesmo quando machuca e sangra e dói. Mesmo quando parece que não vai dar. Da sim. É só mais uma história, é só mais um final, é só outro desses caras que parecem únicos e maravilhosos e nos fazem perder um bocado de tempo até que consigamos enxergar o buraco em que estamos nos enfiando, mas já foram tantos outros que eu sei que cê vai tirar isso de letra.

A única coisa que eu posso te dizer é que isso vai passar. Talvez não agora ou amanhã cedo ou nos próximos dias, talvez leve uma semana ou quatro mês ou três anos, talvez demore mais do que gostaria, não dá pra saber, esse é o tipo de coisa difícil da gente prever, mas eu sei que quando você menos esperar vai estar tudo bem de novo. Confia em mim! Daqui um tempo, mesmo que eu não saiba qual, você vai acordar com o coração bem mais leve, ao ponto de conseguir entender que nada do que aconteceu com você foi a toa, nenhuma pedra caiu no seu caminho por engano, nenhuma curva estava lá por acidente, tudo tinha um motivo, cada tempestade, cada terremoto, cada vez que você quase desistiu, tinha de ser assim, tem de ser assim, então persista, continua, não deixe de seguir em frente.

Eu sei que agora é muito difícil de compreender, mais ainda de conseguir engolir a seco essa angustia azeda que revira o seu estômago quando você se depara mais uma vez com a solidão. Eu sei que você fica tentando entender o que é que acontece que por mais que você abra a sua casa e a sua vida e tente ser a melhor anfitriã do mundo eles continuam indo embora. Eu sei que dói, que queima e que você sente vontade de vomitar só pra ver se isso te deixa mais leve. Sei que tem um nó na sua garganta e que isso te impede de respirar. Eu sei que você se questiona o que te falta, que indaga aos deuses e as estrelas e aos céus o que foi que você fez pra tudo sempre escorrer pelo seus dedos. Sei que você, mesmo em silêncio, fica se perguntando o que é que tem de errado com você, o que cê não ver é que não é nada disso, não é você, nunca foi.

Por mais que esteja doendo e sangrando e que agora pareça que o seu coração tá sendo espremido por um rolo compressor, no fundo tá tudo bem, cê só não consegue enxergar. E quando isso passar, se não hoje, amanhã e depois e depois, cê vai se dar conta de que o seu azar no amor é, na verdade, muita sorte. Isso mesmo, sorte! Sorte porque até hoje ninguém que foi embora realmente merecia o espaço que você estava cedendo aí dentro, nenhum seria capaz de entrar e não destruir nada. Eles iriam te arrebentar de cima a baixo até sobrar somente pequenos fragmentos do que você era antes deles chegarem. Você não perdeu ninguém, o universo que te livrou de um punhado de encostos que só te puxariam pra baixo, e talvez cê não veja agora, mas na hora em que o cara certo chegar você vai agradecer a sua estrela ter te protegido tanto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.