Nova Perspectiva

19 de agosto de 2016

Tudo que eu te falei dormindo


Ei, pequena. Eu me apaixonei por você, foi sem querer, sem pretensão, sem segundas intenções, eu juro. Sei que você já disse por aí nos quatro cantos do mundo que não quer ninguém e cansou de amar e se afogar em pessoas rasas demais, também sei que você tem medo e está machucada de amores anteriores, um pouco fraca para tentar de novo. “Nós somos amigos” também é algo que deve estar pensando agora, já que não tem vergonha nenhuma de dividir essa cama comigo. 

Odeio admitir isso, mas eu tenho uma queda por você, daquelas gigantes que me fazem pensar em ti boa parte do meu dia. Odeio porque tenho medo do que você irá dizer quando eu acordar e da forma que vai reagir, tive meus motivos para não conseguir dizer tudo isso na lata, talvez você fugisse assustada e não me procurasse mais para dividirmos um café extra grande. Você sempre gostou tanto de ter um amigo do seu lado e a gente sempre fica com aquele medo de estar perdendo uma grande amizade, mas pequena, não há nada melhor que ter o seu melhor amigo como amor também. Quer junção melhor que essa? 

Calma, não vá embora assim. Deixa eu terminar de dizer... Você precisa saber que eu não sou tão raso assim, pode mergulhar que o fundo está longe. Eu conheço todos os seus sorrisos, desde aquele que você faz com a boca sem mostrar os dentes, esse mesmo que você cora as bochechas quando está tímida e que provavelmente está dando agora, até aquele que você solta quando está explodindo de felicidade e não tem vergonha nenhuma da sua gargalhada alta que só de ouvir já vale a pena ter nascido. 

Eu admiro cada parte sua e conheço cada uma delas também. O jeito que você arruma o óculos no rosto, com as pontas dos dedos, sem que encoste na lente já limpa pela quinta vez; a forma que desliza a mão no cabelo e abaixa a cabeça tímida quando alguém te elogia. Eu observo cada detalhe seu só pra relembrar de olhos fechados antes de dormir, na tentativa quase inútil de que esses pensamentos sejam levados para os meus sonhos durante a noite. Eu te conheço, pequena. 

Quando você para seus olhos nos meus, mas no fundo não está me olhando de verdade ou admirando e sim apenas vagando em um mundo que é só seu. Me leva pro seu mundo, pequena? Deixa eu te levar num encontro de verdade, desses que você vê em filmes e sem querer deixa a cabeça tombar no meu ombro, soltando um suspiro baixo para que eu não ouça. Te busco às 20h e vamos naquele restaurante italiano que você gosta, dividimos a lasanha e a garrafa de vinho. 

Tudo que te disse quando dormia eu também ouvia. Eu senti que do meu lado você remexia na cama e até escutei sua risada baixa e ao mesmo tempo assustada por me ouvir falar assim. Perdão por ter atrapalhado seu sono, não estranha esse meu jeito esquisito. Eu precisava que você soubesse a verdade antes de embarcar por aí em uma história, não conseguia mais esconder a minha vontade de te beijar no meio da conversa. Sei que deve estar se questionando se vale a pena apostar na gente, mas pequena, não precisa jogar com todas as fichas, com uma só eu te mostro que vale a pena ficarmos juntos. Eu amo você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.