Nova Perspectiva

6 de agosto de 2016

Eu nem sei mais o que eu vi em você


Depois de tanto tempo eu já nem consigo mais me lembrar o que é que você tinha de tão especial que me fazia querer largar tudo só pra poder estar ao seu lado. Perdi as contas de quantas vezes eu me esqueci num canto pra não ter de esquecer você, porque eu tinha medo de que nessa a gente se perdesse um do outro, também já nem lembro direito das outras tantas vezes em que eu abri mão do que eu queria fazer só pra poder seguir os seus passos e não deixar nossas mãos se soltarem e ficarem solitárias no ar até elas se acostumarem a não ter mais uma a outra. E nada do que eu fiz ainda faz sentido porque eu nem ao menos consigo enxergar uma razão pras coisas que eu deixei pra trás quando resolvi andar em frente com você. Eu nem consigo achar uma explicação que me convença de que você valia tudo o que eu perdi.

Agora quando eu te vejo só enxergo razões pra ir embora e me pergunto como é que eu pude ficar tanto tempo aqui e desperdiçar tanta vida com alguém tão minúsculo pra mim. Não sei o que você fez pra conseguir me fazer acreditar que cê merecia que eu me esforçasse do jeito que me esforcei e nem como foi que me manobrou preu continuar me dedicando numa história que não valia o meu suor, mas de algum você conseguiu me convencer por certo tempo de que cê era muito mais do que eu merecia então eu precisava ficar feliz e te dar motivos pra querer estar aqui. Eu me espremi tanto, mas tanto, pra conseguir entrar em você que comecei a acreditar que eu era pequena também. E nessa jogada a gente inverteu, você ficou grande, imenso, enquanto eu me tornei pequenininha ao ponto de quase sumir e não conseguir mais me ver.

Não consegui perceber o que estava acontecendo comigo, nem enxerguei o que eu tava virando porque estava tão hipnotizada te achando incrível que nada mais importava, nem mesmo eu. Isso explica a razão deu ter levado tanto tempo pra deixar a ficha cair e compreender que nada do que você podia ser valia o que eu tava me tornando. Não importava o quão bonzinho você parecesse e se você cozinhava bem e entendia de vinhos e filmes estrangeiros, eu não tinha que me deixar pra te prender e quando eu te soltei você foi embora porque no fundo cê nunca quis ficar. Eu até sofri um pouco e chorei e pensei que talvez não fosse conseguir superar o nosso final, mas eu consegui. Consegui porque quando a casa ficou vazia e eu precisei lidar com os restos de tudo que você deixou pra trás eu acabei começando a olhar a nossa história de um ângulo diferente, comecei a te olhar de um ângulo diferente e de repente o cara que eu sempre amei e endeusei não era a mesma pessoa que conviveu comigo.

Hoje eu não sei mais o que eu vi em você porque na verdade você nunca foi o cara que eu via. Não tenho como encontrar ai dentro aquelas qualidades que eu tanto aplaudi e listei pras minhas amigas, pois elas nunca foram suas. Eu me apaixonei por um personagem, pelo cara que eu queria que você fosse e te fiz ser na minha cabeça, mas ele nunca existiu. A gente cresce lendo sobre amor e histórias inesquecíveis e pessoas que valem a pena e eu só queria que nós nos transformássemos numa coisa dessas que fazem os outros suspirarem quando escutam falar, mas não dava pra gente porque você nunca foi um desses homens saídos de um sonho. Você nunca foi maravilhoso e especial e único, pelo contrário, agora eu vejo que você é bem comum. Eu queria que cê fosse o meu príncipe encantado, te transformei nele, mas na verdade você não é nada do que eu algum dia eu desejei pra mim.

Imagem: Yasmin brunet

2 comentários:

  1. Adorei o texto, me identifiquei muito! Parece que descreve o que estou vivendo. <3

    ResponderExcluir
  2. Sabe aqueles textos que parecem serem escritos pra você ? pois é esse texto me identifica tanto nesse momento. Vireiii tua fã Gabriela <3

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.