Nova Perspectiva

11 de julho de 2016

Mariana


Ela não é só cheia de graça, como dizem os dicionários de nomes, ela é cheia de tudo. Cheia de amor, de certezas, de segurança. Ela é cheia porque o universo a fez intensa demais pra ser vazia. Não aprendeu a ser superficial, e ainda bem! Ela nada fundo, desbrava oceanos, mas só quando vale a pena, caso contrário ela dá meia volta e segue por outro caminho. Se for pra colocar só a pontinha do pé ela nem se molha. Ela tem coragem pra saltar do penhasco mais alto sem se importar com o que vai estar lá embaixo, mas raramente tira os pés do chão. Sonha com as raízes bem fixadas na realidade, por pura garantia de que não vai se machucar.

Detalhista ao extremo, ela analisa tudo duas, três, cem vezes e no final sempre acha que dá pra melhorar. Nunca nada fica perfeito, não porque ela não acha que a perfeição existe, mas por acreditar que o dia em que a atingirmos, o sentido da vida terá se perdido. Viver é se aperfeiçoar. E ela faz isso muito bem. Ela vai observar os detalhes de qualquer coisa que passar por suas mãos, gosta de guardar as sutilezas que muitas vezes voam despercebidas pela maioria. Cê pode nem ter notado ainda, mas quando ela fica em silêncio no meio de uma roda de amigos está, na verdade, esmiuçando cada pessoa presente. E ela sabe, mesmo que nunca diga, tudo o que está por trás das nossas palavras.

Romance água com açúcar só se for no cinema, ela se enjoa fácil de tudo o que é doce demais. Pra conquista-la não adianta decorar um poema do Skakespeare e declama-lo em frente ao pôr-do-sol, isso é bonitinho e tal, mas não diz nada sobre o tipo de relação que ela acredita. Você tem que cuidar da rotina, do dia-a-dia, trabalhando pro amor não virar blasé. Repare na roupa em que ela está usando, preste atenção enquanto ela fala, pergunte como foi seu dia, e demonstre que se importa. Ela não permanece onde não faz diferença. Nem em quem não a faz estremecer. Ela gosta de sentir frio na barriga, só que tome cuidado pra não assustá-la e fazer com que ela saia correndo. Se ela for uma vez, raramente voltará atrás.

Se no amor ela é um grande desafio, em relação a amizade ela é um grande presente. Ela não sabe lidar com a solidão! Por trás daquela pose de “eu me viro muito bem sozinha, obrigada” mora uma menina que se perde fácil quando fica longe das pessoas que ama. E isso, que ela tanto pensa ser um defeito, é uma das suas maiores qualidades. Marianas são boas demais pra ficarem sem companhia, por isso sempre estão cercadas de gente. Mas saiba que o espaço em sua vida é limitado: você só vai entrar em seu coração se merecer cada milímetro que estiver utilizando. A parte boa é que uma vez lá dentro, ela vira o mundo do avesso por você. Vai do céu ao inferno se for preciso por alguém que goste.

Talvez ela não seja a pessoa mais doce que você vai conhecer na vida, mas com certeza vai ser o melhor colo na hora em que precisar. Parece que ela tem um chip no cérebro que a faz saber exatamente as palavras certas pra falar quando estamos precisando. E ela fala, viu? Pelos cotovelos, como diria minha vó. Mas não, este não é um super traço comunicativo que já vem impregnado na genética do nome, é muito mais do que isso. Elas falam pra não serem lidas, pra que assim ninguém desvende o que mora atrás dos disfarces que criam. Elas sabem bem que é no silêncio que os mistérios são desvendados, então elas não se calam e desse jeito só quem tem a alma tão sensível quanto a delas consegue saber o que está por trás de todos os seus discursos intermináveis.

2 comentários:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.