Nova Perspectiva

12 de junho de 2016

Uma cadeira pra Jesus


Estava sentada pra almoçar com minha família no Domingo passado. Churrasco, maionese, minha vó falando sobre algum fato da manhã. Nada de diferente. Pelo menos, até minha priminha de 6 anos, apontando para cada cadeira da mesa, começar a falar.

"Esse lugar é da mamãe. Esse, é do papai. Esse, da vovó. Esse, do tio. Da mana. Do primo. Meu. E esse espacinho aqui, é pra Jesus. Vocês não vão pegar uma cadeira pra Ele?"

Distraídos em seus assuntos adultos e corriqueiros da semana, acho que ninguém mais ouviu. Ou, pelo menos, não demonstrou reação alguma. Mas, eu ouvi. E meu coração, reagiu. Bendita inocência infantil. 

O fato, é que eu percebi que a gente não tem colocado cadeira pra Jesus em lugar nenhum. E tudo que Ele mais queria, era um cantinho na nossa mesa. 

A gente vive os dias, ri e chora. E Jesus só queria uma cadeira do nosso lado. A gente corre de segunda a segunda, de janeiro a janeiro. E ele só queria um cantinho do nosso dia. A gente se serve de trabalho, de estresse, entretenimento, ócio e futilidade. E Ele só queria um espaço na mesa. Mas ninguém lembra que Ele está ali. Ninguém lembra que Ele também precisa ser alimentado. 

Alimentamos nossa vida de interesses próprios. Montamos nosso banquete e convidamos nossos sonhos. Nossos desejos. Nossas ambições. Pessoas. Interesses. Distrações. Todos tem lugar. Mas a gente nunca puxa uma cadeira pra Jesus. A gente enche a barriga de tanta porcaria, que não tem fome do essencial. E Ele vai morrendo, pouco a pouco, dentro de nós. Raquítico. Esquecido. Negligenciado. Gradual. 

A gente tá ocupado demais com os fatos do jornal. Com o impeachment da Dilma. Com a crise econômica. A gente tá encarregado demais com o prazo do processo, com a matéria da faculdade, com o texto pra entregar. 

A gente tá consumido demais pelas 40 horas semanais. Pelas lutas inúteis, contra o que tanto faz. 
Com as preocupações excessivas sobre o que nem importa. Com esses assuntos maçantes que ninguém mais suporta. 

É vida medíocre e gente acostumada. Com nascer, crescer, pagar contas e morrer, porque nunca convidou Jesus pra mesa. É gente morrendo sem saber o que é viver. É gente que se enche e não come sobremesa. 

É gente contra gente pra defender gente. É liberdade de expressão doente, por não aceitar diversidade e considerar ofensa. É muita opinião e "achismos" próprios, e nenhuma cadeira pra o que Jesus pensa. 

Nossa vida tá cheia de vazios demais, porque a gente não traz amor pra dentro da dispensa. Nossa alma tem fome da eternidade, mas a gente tá ocupado demais dando ibope pra imprensa. 

Que falte churrasco no domingo, e até lugar pra mim na mesa, mas que a minha fome do que importa, seja intensa. Eu vou pegar uma cadeira pra Jesus, e vou sentar no colo Dele. Esse é o meu lugar. E essa é a minha recompensa.

E você?

Um comentário:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.