Nova Perspectiva

20 de junho de 2016

Status: Ocupada demais comigo mesma


Cinco ligações perdidas, dez mensagens sem resposta e você tentando entender o que foi que aconteceu comigo. Tem coisas que acontecem que são difíceis de explicar moreno, essa é uma delas. Acordei outro dia mais cedo do que o meu despertador e fiquei encarando o nada com o olhar perdido no teto. E foi ali, às cinco e meia de uma quarta-feira, que eu me dei conta de que a minha vida estava tão inerte quanto aqueles poucos mais de dois metros quadrados em branco.

Foi exatamente quando eu constatei o que estava acontecendo e assimilei que só eu poderia fazer algo pra sair daquele buraco que decidi erguer as mangas e partir pra ação. Fiz uma faxina geral começando de dentro pra fora, tirei uns dias pra mim, sai um pouco de cena, me afastei de tudo o que estava me fazendo mal, inclusive de você. Voltei a caminhar no parque todo o fim de tarde, cê lembra como eu gostava de respirar aquele ar puro? Fui me renovando. Fiz uma limpeza aqui em casa, tinha tanta tranqueira acumulada que eu entendi onde é que minha energia estava ficando presa.

De sexta, eu passei a me convidar pra sair. Fiz eu mesma os meus almoços de domingo, macarronada, nhoque, lasanha, risoto. Pratos pra um e muito jazz ao fundo. Abri aqueles vinhos que a gente acumulava só pra ter a adega cheia e me embriaguei com a minha própria alegria. Aprendi a amar minha companhia, me levei ao cinema, à diferentes barzinhos e pra jantar em restaurantes dos mais variados. Fui ao salão de beleza, ao shopping e revi amigos de anos. Aos poucos fui me dando conta de tudo o que eu havia deixado de lado pra poder viver a sua vida.

Abri mão de hobbies, de pessoas, de paixões. Abri mão das minhas viagens, dos meus sonhos, dos meus planos só pra conseguir me adequar ao que você queria. Só pra viver do modo que você achava certo viver. Eu te amei ao ponto de me cegar e não conseguir perceber que eu não estava feliz assim. Achei que não tinha nada pior do que te perder, até que eu perdi e vi que o pior já tinha acontecido há muito tempo: eu havia me perdido de mim mesma.

Quando você saiu de casa, eu caí de cama, adoeci, sofri. Demorei muito pra aceitar aquela situação, mas ainda pra ver o quão boa ela era, mas uma hora eu finalmente entendi que ir embora tinha sido a melhor coisa que cê fez desde que entrou na minha vida. Agora eu não te quero de volta. Não te atendo, não te respondo e ignoro todas as vezes que você me procura. To sem tempo, ando ocupada demais comigo mesma recuperando tudo o que eu perdi pra não te perder.

*Imagem via reprodução

3 comentários:

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.