Nova Perspectiva

25 de junho de 2016

Hoje eu não quero planejar nada

Não! Por favor não começa com essa história de que "no mês que vem nós podíamos ir a tal lugar fazer tal coisa". Eu não quero. Eu não vou. Eu sei que você é intenso demais pra essa calmaria toda, mas para, respira e presta atenção no que eu tenho pra te dizer. Mês que vem tá muito longe. A próxima semana também. E o final de semana. E amanhã. Esquece todos os outros dias, foca no agora. Me diz o que você pensou pra hoje, cinema, barzinho, motel. Talvez aquele japa que abriu perto da sua casa. Mas tem que ser até de noite. Já. A gente vai, se encontra, dá risada, discute política e conta piadas. A gente fala do último capítulo da novela, daquela série nova que lançou mês passado ou do seu time que não tem para de perder pro meu. A gente comenta da comida e discute a história do peixe cru, mas sem papo de futuro. Sem criar expectativas em cima de algumas horas. Se você começar a falar sobre o nosso potencial eu já aviso que vou sair correndo. Isso mesmo. Eu te deixo pra trás falando sozinho sobre o quanto combinamos e somos perfeitos um pro outro. Podemos até ser, mas agora isso não me importa muito.

Me desculpa estragar seus planos, não quero parecer estraga prazer, mas eu gosto de jogar limpo e preciso te avisar que nesse momento não vai dar pra construir nada com você. Nem uma relação. Mesmo se for uma relação livre. To em outra fase, o que eu procuro, agora, é viver. Só isso. Viver cada dia de uma vez sem me preocupar em como tudo vai estar semana que vem. Não importa. Ela estará como estiver de ser. E eu não vou ficar esquentando a minha cabeça com isso. É perda de tempo. E eu já perdi demais. Então vem aqui pra casa, traz um vinho e uns petiscos e a gente fica jogando videogame até os nossos dedos começarem a doer. Ou a gente se joga na cama e se doa sem dor um pro outro. Ou, se preferir, fazemos tudo isso depois de ficarmos escutando uns discos e você me contar a história de cada música. Eu adoro conhecer essas coisas que você sabe e sequer entende o porquê. A porta tá aberta. Eu também. Mas a duração é de 24 horas. Com renovação só no final e sem direito de discutir o contrato antes.

Se for pra vir, deixa lá fora essas suas ideias de combinar uma viagem romântica pra gente ver o sol nascer no mar ou de marcarmos um jantar na casa dos seus pais preu conhecer a sua família. Não to pronta. Nem quero estar. Pelo menos não por enquanto. Você pode não me entender, e tudo bem porque às vezes eu também não entendo, mas é que eu to de saco cheio de ficar preparando terreno pra algo que tá lá na frente e pode nem vingar. Eu quero aproveitar o instante. Quero me deliciar no agora. E não importa se estaremos juntos amanhã ou depois e depois. Não importa se vamos casar e ter filhos ou nos esquecer na esquina seguinte. Você tá aqui agora e eu to doida pra deitar minha cabeça no seu ombro. Pra sentir seu cheiro. Seu beijo. Seu gosto. Sem me preocupar com mais nada. Sem planejamentos. Sem promessas. Sem amanhã. Só nós dois. Essa noite. E talvez todas as outras de nossas vidas. Talvez. Mas hoje, sim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.