Nova Perspectiva

19 de maio de 2016

Isla e o final feliz


Título: Isla e o final feliz
Autora: Stephanie Perkins
Editora: Intrínseca
Páginas: 299 


Um dos livros que fez com que eu me apaixonasse pelo mundo da literatura foi "Anna e o beijo francês". Desde então, leio tudo o que posso da Stephanie Perkins. Por isso estava tão empolgada para a leitura de "Isla e o final feliz". <3 

O livro faz parte de uma série independente onde o livro citado anteriormente seria o primeiro volume, "Lola e o garoto da casa ao lado" o segundo e Isla o terceiro. Mesmo assim, os livros podem ser lidos aleatoriamente, a única diferença é que alguns personagens aparecem vez outra, mas os protagonistas são diferentes.

Isla (lê-se Aila, isso é explicado logo na primeira página) é uma ruivinha engraçada no início, mas que acabou me irritando conforme a história ia passando. Ela estuda em um internato na França e tem uma paixão bem grande pelo Josh.

Tímida, a protagonista não tem nenhum outro amigo além do Kurt, um menino autista que ela conhece desde pequena. Possui duas outras irmãs, Gen, a filha mais velha, cuja relação fraternal é ótima, e Hattie, a irmã mais nova que vive de briguinhas.

A história se passa bem rápido, e eu não sei se gostei muito disso. Existe uma narração longa, com diálogos e logo após disso pulamos para dias ou até semanas depois. Ao contrário dos outros livros, "Isla e o final feliz" parte logo do princípio e, no começo, não tem grandes enrolações. O ritmo da leitura é bacana e proporciona vários daqueles momentos "que você não acredita e tem que enterrar a cara no livro".

Infelizmente a protagonista não me chamou tanta atenção, e isso logo foi se agravando quando a história se encaminhava para o final. O drama ficou extremamente desnecessário e acabou desvalorizando a minha leitura. Logo, percebe-se que não fiquei tão encantada com o livro quanto havia ficado com os outros.

Não gosto de ficar comparando obras literárias, mas senti um declive na escrita da Stephanie. Os personagens dos outros livros pareceram ser diferentes, e isso me chateou bastante. A essência da história não me transmitiu o mesmo encanto das outras vezes. Além disso, percebi alguns errinhos de tradução. Não sei se isso aconteceu porque o livro foi publicado por outra editora ou se é coisa da minha cabeça, mas estou com a alternativa de tentar ler a obra em inglês para ver se crio uma afeição melhor.

Apesar dos pesares, a leitura fluiu rapidamente. Josh é puro amor e há realmente bons momentos na história toda. Esperava, porém, um pouco mais de Stephanie de verdade na história. De qualquer forma, é um livro bacana que deve ser lido sim, pois proporciona algumas risadas aqui e ali e é uma leitura super leve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.