Nova Perspectiva

11 de abril de 2016

Só o que sobrevive é a saudade

Nos últimos tempos eu já nem ao menos consigo mais dormir, fecho os olhos e fico revirando de um lado pro outro na cama até desistir de brigar contra mim mesma, ando entre a cozinha e o quarto como tentativa de cansar o corpo e ver se assim pego no sono, mas de nada adianta, porque nada faz com que eu aquiete e desligue, meu único cansaço vem de dentro, vem da alma, e é ele quem me mantem desperta. Enquanto me esfolo pensando em você e na falta que cê faz em mim todo dia quando o despertador toca e eu ainda estou acordada lutando pra sentir o cheiro do seu café, a sua vida segue com a dela. Juntos, os dois, como se eu nunca tivesse existido.

Passo as horas tentando criar justificativas pro nosso fim e as horas em si não passam, o relógio não anda e só o que eu sinto é saudade. Saudade de nós, saudade das vezes em que você curou minha insônia com seus beijos, aliviou minha angustia com a sua calma e foi a paz que tanto faltava dentro de mim. Saudade de quando a gente era pra sempre e nada nem ninguém poderia estragar o nosso amor. Mas ela estragou. Quer dizer, não foi ela! Foi você quem estragou tudo. Ela só provou que não éramos tão fortes quanto imaginávamos, nem tão indestrutíveis assim, já que uma leve ventania conseguiu levar à baixo tudo o que gastamos tempo construindo. Não fomos o bastante pra segurar o tranco e você caiu fora me deixando cair sozinha.

Com os olhos fechados eu procuro entender o que foi que aconteceu pra tudo virar do lado ao contrário, em que parte dessa história foi que eu me perdi? Ou que te perdi? Não sei dizer com certeza, mas sei que foi em algum momento entre o dia que ela te olhou e o instante em que você viu algo nela que não via mais em mim. Eu morri dentro de você quando você achou sua vida dentro dela e a cada dia morro um pouco mais aqui do lado fora cercada pela solidão que o eco do vazio no seu guarda-roupa faz. Só o que se mantém vivo, ainda intacto, é o meu amor, que parece crescer ainda mais ao passo que sobrevive da saudade que me destrói a cada segundo que eu vejo que ela te faz mais feliz do que eu consegui fazer.

*imagem via weheartit

2 comentários:

  1. "Saudade que me destrói a cada segundo que eu vejo que ela te faz mais feliz do que eu consegui fazer." ��

    ResponderExcluir
  2. Aí que texto triste meu deus. Chega doeu aqui no peito.
    Acredito que a pior dor é ver o outro partir sendo que a gente continua no mesmo lugar.

    ResponderExcluir

"A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixou cativar." — Antoine de Saint-Exupéry — Cative-me.